ULTIMAS POSTAGENS

METRÓPOLE: DESPERTAR DE MELISSA DE SÁ

Oi Metropolitanos!
Ops! Oi Pockets!
Sei que tudo está perfeitamente bem com vocês. Aqui não toleramos nada além do que a perfeição.
Brincadeiras a parte, hoje vamos falar do livro Metrópole: Despertar da autora Melissa de Sá, publicado pela Editora Draco.


Título: Metrópole: Despertar
Autor: Melissa de Sá
Editora: Draco
Onde encontrar: E-book Amazon // Físico Amazon
Nota: 5 / 5
Sinopse: 
Nada é real. Nenhum lugar é seguro. Abra os olhos.
Após o Grande Caos, Metrópole se ergueu sobre os escombros da civilização humana. Andrella é apenas mais uma adolescente que busca a excelência intelectual no meio dessa sociedade que preza a perfeição e o controle acima de tudo. Mesmo tendo sido criada pelo excêntrico Argorio, tudo que Andrella deseja é ser uma Metropolitana exemplar e viver do jeito que esperam que viva. Mas quando o próprio Argorio é vítima de um crime que não acontece em Metrópole há mais de vinte anos, Andrella começa a perceber que talvez o Conselho da cidade queira seus segredos bem escondidos. Agora ela puxará os fios de uma teia que oculta uma verdade terrível não apenas sobre a cidade, mas também sobre si mesma. Afinal, o que há além das fronteiras de Metrópole? Estariam lá as respostas sobre quem Andrella realmente é? Metrópole: Despertar , de Melissa de Sá, é uma distopia que culmina em uma trama de violência, poeira e perseguições em que nada é o que parece. Tensão, suspense e romance estarão presentes para aqueles que ousarem ler nas entrelinhas. E você? Está pronto para descobrir o que está por trás dos muros das aparências?


Se você gosta de um livro que te fará refletir e perder o ar, esta no caminho certo.
A ideia inicial era que eu lesse o livro junto com o pessoal da leitura coletiva em nosso projeto #EuLeioNacionaisCP, como sempre faço quando compro um livro e ele chega em casa, peguei Metrópole para ler as primeiras páginas para depois encontrar o lugar ideal para ele na estante.
Sentei na cama e comecei a ler, quando vi já estava na página 95. Dei uma pausa e falei que não ia mais ler até o pessoal do grupo me alcançar, o que seria na segunda meta da leitura, isso faltava mais ou menos um mês rs'
No primeiro dia da leitura coletiva peguei o livro de novo e devorei, não só ele, como também os dois contos que a autora postou na Amazon e o segundo livro da duologia. Sim, meus amigos. Metrópole é uma duologia. Sendo Metrópole: Despertar, o primeiro livro e, Metrópole: Caos, o segundo livro.
A trama vai falar de uma adolescente, Andrella, que vive com seu tio Argorio na perfeita Metrópole. A cidade que foi construída após o Grande Caos, onde só habitam pessoas perfeitas, alunos com notas excepcionais.
Andrella tem um baixo desemprenho na escola, oitenta por cento, em uma prova de Química Básica II e todos já a veem como uma fracassada que logo vão esquecer, pois em Metrópole não existe fracasso, não existe cansaço e muito menos sentimentos.

"Mente sã é espírito livre. E nada é mais livre do que a mente."

Esse era o lema da escola metropolitana. Ou seja, nem na escola e nem em nenhum outro lugar da cidade aceitariam fracassos ou fracassados.
No dia seguinte, Andrella é chamada na sala do diretor e descobre que seu tio desapareceu, mas fica aflita, um sentimento nada metropolitano, pois não existem sequestros em Metrópole. Ela é liberada da escola e vai para casa, chegando lá não encontra ninguém e sua casa está perfeitamente organizada, nada parecido com o que falaram pra ela na escola.
Na manhã seguinte volta pra escola e tenta falar com o diretor, mas é impedida e chamada de louca, retorna pra casa e é surpreendida com uma casa revirada, ela busca nos destroços alguma pista de seu tio, mas ouve um barulho suspeito e se esconde. Nesse esconderijo ela descobre algo apavorante e que pode mudar toda a sua vida, mas vai embora e no outro dia é ajudada/sequestrada por uma mulher que com toda certeza não é de Metrópole. As duas saem dos limites da cidade para o grande deserto e é aí que nossa aventura realmente vai começar.
A mulher e Andrella precisam fazer loucuras, segundo a jovem para sobreviver. No deserto começam a conhecer uma a outra, e conseguem enxergar que não são igual ambas imaginavam que a outra fosse.

O livro nos faz refletir sobre nossa vida, nossa sociedade, onde se você não tem dez mil seguidores, não faz live pelo menos uma vez por semana, não está em todas as redes sociais e mostra uma vida perfeita, você não é aceito. Não é visto como alguém.
Mas se formos ver bem, a maioria das pessoas só mostram o lado bom nas redes sociais ou o lado que eles querem que o mundo tenha pena, não mostram seu verdadeiro eu, e isso não é só nas redes sociais. Quem é que se mostra totalmente para outra pessoa sem nenhum muro ou máscara?
Até que ponto a verdade que você conhece é a verdade do outro. A verdade sempre tem três lados, o meu, o seu e o que realmente aconteceu. Então até quando nossa verdade é realmente a verdadeira? (rs' quanta verdade kkkkkk)
Andrella me ajudou a refletir sobre amizade, até quando somos amigos ou o que é a amizade verdadeira. Consegui olhar de um ângulo diferente sobre como estou vivendo minha vida e o que é real nela.
O segredo que Andrella descobre no esconderijo é um grande divisor de águas, ou você fará exatamente igual ela ou ao contrário. (kkkkk pensou que eu ia falar o que era? Se enganou. Vai ter que ler o livro.)
O livro foi tão bem escrito e tão bem amarrado que teve um momento que pensei: "Finalmente uma ponta solta!". Quando fui conversar com a autora descobri que não é uma ponta solta e sim que estava muito bem amarrado e eu quem não percebi, voltei na história e confirmei o que a autora me disse.

"Tudo tinha começado de uma vez, como um estalo. Depois ela ficou sabendo que para Andreza também tinha sido assim. Um estalo, e nada mais."

O que descobrimos nesse livro nos fará ficar em pólvora para o livro dois. Eu gostei tanto que na mesma hora fui e comprei o e-book de Metrópole: Caos, pois não ia dar tempo de comprar o físico e esperar chegar para saber como termina essa aventura de Andrella em busca de quem ela é e quem são todas as pessoas que ela conviveu sua vida inteira, inclusive seu tio Argorio.
Temos cenas bem elaboradas onde podemos nos imaginar nas fugas e em meio as pequenas batalhas que acontecem durante a trajetória de nossa protagonista.
Acho que essa foi uma dica com muitos spoilers, mas vou falar outra coisa que adorei e acontece logo no início do livro que é o jogo de palavras de Argorio com Andrella.
"  Regue as sementes.
  Vou aguar bastante, tio - falou a garota num meio sorriso.
— Regar, regra, regalia. O que você acrescentaria?
—  Regata.
—  Inusitado, mas bom."

Assim eu acabo essa dica de leitura, resenha, indicação. O que você preferir.
Beijinhos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo