ULTIMAS POSTAGENS

RESENHA - A SOMBRA DO MEU IRMÃO - UWE TIMM

Foto Keila - @ViajenaLeitura
Oi Pockets!
Hoje teremos a participação especial de uma pessoa muito querida Keila Cristina. Ela é uma leitora voraz, participante do Clube do Livro Neves e também tem um IG Literário muito legal @ViajenaLiteratura onde sempre tem ótimas dicas. Então antes de sair deixa amor nos comentários.

Titulo: À sombra do meu irmão
Autor: Uwe Timm
Editora: Dublinense
Nº de Páginas: 160
Ano: 2014
Classificação:

"Nada - e isso é o fato mais desesperador - evitou que os assassinos cometessem os crimes, nem educação, nem cultura, nem a chamada espiritualidade."



Esquerda para direita - Eduardo Klaus, Keila, Fabio
Concluí há algumas semanas a leitura do livro À Sombra do Meu Irmão, do autor alemão Uwe Timm, e tivemos o prazer de compra-lo no estande da Editora Dublinense - editora pelo qual o livro foi lançado - no evento Primavera Literária que aconteceu em Belo Horizonte no mês de setembro, diretamente das mãos do autor Eduardo Krause (autor de Pasta Senzo Vino e Brava Serena lançados pela mesma editora) que nos atendeu com muita simpatia e carisma, o livro inclusive, foi uma indicação do autor.

A respeito do livro, essa foi uma leitura que me trouxe algumas surpresas as quais citarei aqui as mais importantes:
A primeira foi o contato com a escrita alemã. Até então minhas leituras se limitavam muitos às escritas brasileira e inglesas, e foi bom sair um pouco da minha zona de conforto, ver outras formas de se construir uma prosa.


"Eu desejava que eles (...) tivessem se comportado como aquele oficial alemão que andava de uniforme pelas ruas de sua cidade com o amigo judeu na época em que os judeus foram marcados com a estrela de Davi. O oficial foi deposto do seu cargo (...) Um oficial corajoso. Mas uma coragem completamente diferente daquela que se esperava na Alemanha(...)"

A segunda surpresa é sobre a temática do livro, À Sombra do Meu Irmão é um relato real do irmão de um soldado morto na Ucrânia aos dezenove anos combatendo por uma divisão da SS nazista, em 1943. Eu que sempre li livros que trazem por tema a Segunda Guerra Mundial/Nazismo, deparei-me pela primeira vez com a historia contada pelo ponto de vista de um alemão e não de um judeu. O ponto de partida da narrativa se dá através do diário e de algumas anotações feitas pelo soldado morto, mas o autor não se limita apenas a narrativas sobre a guerra, se tivesse de defini-lo em uma categoria, diria se tratar de um livro de memorias, onde o autor relata os efeitos do pós guerra na sua família enquanto tenta desvendar o que teria levado o irmão - um jovem bem educado, um filho amado - a se alistar voluntariamente numa guerra tao cruel. 
Teria sido obrigado a matar? Realmente não tinha opção? 
São perguntas que ele tenta responder a medida que a narrativa vai desenrolando, porém sem caráter acusador ou de justificativas, apenas fatos, memorias e questionamentos de alguém que na ocasião em tudo aconteceu era pequeno demais para entender.
Esse paradoxo entre "o filho amado" e o "soldado nazista" foi algo que realmente me levou a refletir, pois é natural que em face de tamanhas atrocidades cometidas por esses soldados nos campos de concentrações, passemos a enxerga-los como "monstros". Questionada a mãe do autor sobre o que teria levado o filho se tornar um soldado nazista ela responde "fizeram mal uso do idealismo do meu filho". Uma resposta que faz muito sentido, tendo em vista que a linha entre o idealismo e o fanatismo é realmente muito tênue. 
A terceira e ultima surpresa ficou por conta da descoberta da Editora Dublinense. Eu nunca tinha ouvido falar da editora, mas uma passadinha pelo estande me deixou com aquela vontade de comprar quase tudo, o que mais me encantou foi a diversidade de temas, poesias, romances, memorias... Enfim literatura pra agradar qualquer tipo de gosto. Com certeza outros títulos da editora entrou pra minha lista de próximas aquisições.

Voltando a falar sobre À Sombra do Meu Irmão, o livro é uma narrativa sem diálogos, portanto em alguns momentos a leitura pode se tornar um pouco densa, e uma vez que autor mescla relatos sobre a guerra e memorias afetivas, fiquei um pouquinho confusa em determinadas partes, mas isso não alterou em nada o teor da prosa em si. A mensagem do autor a mim foi transmitida com louvor: um apelo por mais humanidade porque a guerra só faz vitimas, e não são apenas aqueles que morrem combatendo. A guerra também faz vitima entre aqueles que supostamente sobrevivem.




"Aqui encerro meu diário, pois considero sem  sentido escrever sobre as coisas tão horríveis que acontecem as vezes." 

Só pra finalizar, me resta dizer que essa foi uma leitura bastante enriquecedora em vários espectros, eu diria que até muito necessária para os tempos em que estamos vivendo.
Até a próxima!



LITERATURA PELO MUNDO - INGLATERRA


Oi pockets!!!
Hoje vou falar de um lugar que amo, mas ainda não tive a oportunidade de conhecer pessoalmente somente através de livros e filmes. A cidade de Londres, uma das grandes fontes de literatura do mundo.  Para os amantes de leitura o melhor lugar para se conhecer é a British Library entre outras que torna Londres um lugar mágico.
Fundada em 1973, a British Library (Biblioteca Britânica) é a biblioteca Nacional do Reino Unido e uma das maiores bibliotecas do mundo, contando com mais de 170 milhões de itens catalogados de diversos países diferentes. Ela recebe pelo menos uma cópia de simplesmente todos os livros produzidos no Reino Unido e na Irlanda. Ela abriga cerca de 14 milhões de livros, incluindo manuscritos e itens históricos com até 2 mil anos! Além de um enorme acervo impresso em diversos idiomas, a British Library possui um impressionante acervo digital, que inclui livros, manuscritos, revistas, jornais, gravações de som e música, vídeos, scripts, patentes, bases de dados, mapas, selos, impressões e desenhos.

Uma das maiores bibliotecas de Londres, pela pesquisa que fiz sobre a biblioteca meu local favorito é a sala de leitura parece ser um lugar incrível.

A BIBLIOTECA DO REI

Um dos destaques do centro do edifício que abriga a British Library é a King’s Library Tower (Torre da Biblioteca do Rei). Quando George III se tornou rei em 1760, ele herdou uma biblioteca incrível de seu pai, George II. O rei começou a montar uma nova coleção de obras ainda maior, com diversos manuscritos e raridades, que atingiu cerca de 65 mil livros. Quando ele morreu em 1820, George IV doou a biblioteca ao país e ordenou que a coleção ficasse separada de qualquer outro acervo, uma vez que ela é uma das coleções mais importantes de livros e panfletos da Era do Iluminismo. A coleção ficou alojada na “Galeria do Iluminismo” do British Museum entre 1827 e 1997. A partir da década de 1970, o acervo começou a transferido para a recém criada British Library. A coleção está agora alojada na King’s Library Tower, uma estrutura de vidro e bronze de seis andares no hall de entrada da British Library.


Escritores

Agatha Christie
Agatha Mary Clarissa Christie DBE ( Nascida Agatha Clarissa Miller; Torquay Devon Inglaterra, Reino Unido, 15 de Setembro de 1980 - Wallington, Oxfordsire, Reino Unido, 12 de aneiro de 1976, popularmente conhecida como Agatha Christie foi uma escritora britânica gênero romance policial, tendo ganho popularmente, em vida, a alcunha de "Rainha/Dama do Crime" ("Queen/Lady of crime", no original em inglês). Durante sua carreira publicou mais de oitenta liros alguns sob o pseudônimo de Mary Westmacott. A rainha do crime se consagrou ao criar o detetive Hercule Poirot que desvenda crimes e historias intrigantes de maneira surpreendente. Agatha Christie é a romancista mais vendida de acordo com o Guinness Book o Livro dos Recordes. Seus mais de 80 livros publicados, e traduzidos em todo o mundo, fizeram dela a maior escritora de romances policiais de todos os tempos Muitas obras á foram adaptadas para o teatro e cinema.


"A essência da vida é andar para a frente;

sem possibilidade de fazer ou intentar marcha a trás.

Na realidade, a vida é uma rua de sentido único."

Alem de consagrados contos de mistério Agatha deixou de lado as investigações e publicou seis romances sob o já mencionado pseudônimo de Mary Westmacott explorando a alma humana seus conflitos e emoções. A escritora morreu com 85 anos vítima de pneumonia.

William Shakespeare (Stratford-upon-Avon, 1564 (batizado a 26 de abril) — Stratford-upon-Avon, 23 de abril de 1616) foi um poeta, dramaturgo e ator inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra e de "Bardo do Avon" (ou simplesmente The Bard, "O Bardo"). De suas obras, incluindo aquelas em colaboração, restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e mais alguns versos esparsos, cujas autorias, no entanto, são ainda disputadas. Suas peças foram traduzidas para todas as principais línguas modernas e são mais encenadas que as de qualquer outro dramaturgo. Muitos de seus textos e temas permanecem vivos até os nossos dias, sendo revisitados com frequência, especialmente no teatro, na televisão, no cinema e na literatura. A obra mais famosa da romancista, sem dúvidas, é Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice), considerado um dos livros mais lidos em todo o mundo. A história mostra a maneira com que a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. A obra ganhou uma adaptação para o cinema em 2005.


"É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada."

Nas histórias da escritora, as protagonistas mulheres têm mais autonomia e independência do que em outras obras da época, representando uma contribuição literária ao que podemos chamar de um movimento feminista, mesmo que ainda tímido.Em 2017, ano do bicentenário de morte da autora, Jane ganhou uma homenagem do governo britânico: o rosto dela passou a estampar a nova nota de 10 libras.

Jane Austen (Steventon, Inglaterra16 de dezembro de 1775Winchester, Inglaterra, 18 de julho de 1817) foi uma escritora inglesa. A ironia que utilizou para descrever as personagens de seus romances a coloca entre os clássicos, haja vista sua aceitação, inclusive na atualidade, sendo constantemente objeto de estudo acadêmico, e alcançando um público bastante amplo.
Nascida em Steventon, Hampshire, de uma família pertencente à nobreza agrária, sua situação e ambiente serviram de contexto para todas as suas obras, cujo tema gira em torno do casamento da protagonista. A inocência das obras de Austen é apenas aparente, e pode ser interpretada de várias maneiras.                                                                     

"Muitas vezes perdemos a possibilidade de felicidade de tanto nos prepararmos para recebê-la. Por que então não agarrá-la toda de uma vez?"


A literatura Inglesa é muito rica e possui vários nomes consagrados, trouxe apenas estes três mas Quero saber quais são os seus autores ingleses favoritos
Me conta ai nos comentários.

Até a próxima!



DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Oi Pockets!
Tudo bem com vocês?


Vamos falar um pouco sobre consciência. Segundo o dicionário Michaelis consciência é:

"O próprio ser humano, entendido como ser pensante ou entidade espiritual; alma, espírito, mente."

"Compreensão ou lucidez quanto a determinado tema ou assunto, em especial aqueles afeitos a questões sociais e políticas."

Agora vamos conversar!
Vai ter carne preta, sim!
Estudos recentes dizem que pela primeira vez, nós negros, somos a maioria (por volta de 46%) nas universidades públicas.  Uma grande vitória, fato. Mas... será que esses quarenta e seis porcento concluirão seus estudos? Os que concluem, se formam de uma forma digna e sem máculas pelo tom de sua pele? E depois, esses negros guerreiros terão vez no mercado de trabalho? Dados quantitativos são muito bons, enche os olhos da massa. Porém tantas questões surgem por trás desses dados!

Ainda falando em dados, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) aponta que as mulheres negras ganham 44.4% a menos que os homens brancos. Não! Você não leu errado. Mulheres pretas ganham menos da METADE! Você pode pensar que o fator determinante nesta conta discrepante é o gênero. Ledo engano, as mulheres brancas vêm logo abaixo dos homens brancos na classificação de remuneração, depois os homens negros, finalizando esta vergonha de rendimento desigual, as negras. O IBGE ainda afirma que a desigualdade também está na distribuição de cargos gerenciais, apenas 29.9% são ocupados por profissionais (tão preparados quanto os brancos) pretos e pardos. Em outras palavras: quanto maior o salário, menos mãos negras tomam posse dele. Sem comentar a fundo sobre o enervante fato: quanto mais a mulher preta se instrui, menos ela ganha em relação o homem branco com o mesmo grau de escolaridade. E ainda é apontada como “pesada demais” a máxima “a carne mais barata do mercado é a carne preta”.


Embora seja a mais barata, a carne preta é a mais desejada. E menos assumida. Explico: o corpo negro é muito desejado sexualmente. E não é porque somos/nos consideramos mais gostosos, não. É uma questão de racismo cultural. Os escravos não eram utilizados apenas como mão de obra, exploração de serviço e escape para extravasar raiva. Havia a cultura da escravização sexual, onde os desejos dos mais naturais aos mais “imorais” eram feitos com os escravos, logo, os escravizados de melhor aparência, dos corpos mais atraentes eram mais caros e disputados.

“(...) - Qual é o preço dela? Você quer comprá-la? (...) não há preço! Ela não está à venda! (...) Mas os ouvidos de Freeman foram surdos a esta proposta humanitária. Ele não a venderia naquela ocasião, por quantia alguma. Ela renderia montanhas de dinheiro - disse ele - quando fosse apenas alguns anos mais velha. Certamente haveria muitos homens em Nova Orleans dispostos a lhe pagar até cinco mil dólares por uma ‘peça’ de beleza tão rara e extraordinária como Emily logo viria a ser (...). Ela era uma beleza! Uma pintura; uma boneca; uma das que tinham ‘sangue bom’. (...)”
12 Anos de Escravidão (p. 61)

Você entendeu, não é? A pobre escravinha, que contava apenas cinco anos, não seria usada para colher algodão ou plantar milho. Contudo, pouco provável ela ser tomada como esposa por seu dono. Porque era essa a sina das escravas bonitas. Seu destino era ficar trancafiada na senzala, sendo abusada mental e sexualmente por seus senhores quando, por quem, como e quantas vezes eles quisessem. Nunca na sociedade, sempre às escondidas. O que, salvo as condições atuais, ainda acontece. O olhar de cobiça, os desejos da carne, os prazeres mais primitivos, são saciados pelas pretinhas, o casamento, a sociedade, para as branquinhas. E isso não é vitimismo. Mulheres negras casadas ou com relacionamento sério assumido é muito inferior à mulheres brancas na mesma situação. Apontar está situação nos trouxe várias reticências, uma vez que pode se dar ares de competição entre as mulheres de etnias diferentes, um falso ar de falta de sororidade. Não! Não é sobre disputa. É sobre desigualdade. E as menos culpadas desse horror são as mulheres.


Por falar em sororidade, nunca antes na história deste país (não podemos perder a piada), esta palavra foi tão bem trabalhada e praticada. Estamos nos unindo, apoiando cada vez mais. Tchau, disputas infantis; olá, concorrência saudável. Dar valor ao outro não diminui as suas qualidades. Muito pelo contrário! Este reconhecimento mútuo, valorização do ofício, notoriedade ao trabalho do outro só nós dá forças para alimentar a excelência do serviço e principalmente, o triunfo de todos os envolvidos.

Quando se fala em enaltecimento da mulher negra, da beleza dos lábios cheios, da poesia dos quadris largos, do empoderamento dos cabelos crespos, deve-se lembrar historicamente delas, as que vieram primeiro, que não puderam se embelezar; das que vieram depois e não tinham uma paleta de cores de base correta para seu tom de pele e dessas outras, mais próximas de nós, com bolhas no couro cabeludo por conta da chapinha assassina. Para que pudéssemos ser livres para alisar ou não os cabelos, para passar ou não os cabelos, para usar brinquinho ou brincão, turbantes, faixas, roupas estampadas, étnicas ou monocromáticas. Hoje somos livres para mostrar nossos corpos negros em vários tons. Cabelinho pra jogo, alisado, armado, enrolado ou cabelo algum. Sambando, requebrando, mandando ver no rap, batendo cabelo no calypso ou no metal ou só no cantinho olhando a festa. Na hora da fé, no candomblé, na igreja evangélica, católica, carismática, no templo budista, fora de tudo, dentro de várias. Livres para poder sorrir, para chorar, falar, cantar, escrever; livre para ser. Livre para amar um homem ou vários, amar mulher, plantas, mas sem esquecer de amar a si mesma em primeiro lugar. Livres para ter consciência de imagem, de qualidades e limitações, consciência de onde ir, de criar; consciência negra. Porque a carne preta não é a mais barata, pois não está mais a venda.

Hoje, 20 de novembro, comemora-se o Dia da Consciência Negra, um grande dia para os descendentes dos humanos escravizados, - pois ninguém nasce escravo - assim como a maioria das datas semelhantes, provém de um desastre. Marca a morte de Zumbi dos Palmares, um pernambucano, que nasceu livre, mas aos 6 anos foi escravizado. O mesmo Zumbi, retornou anos depois para sua terra natal e virou líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695.
Na segunda metade da década de 1970 um grupo no Rio Grande do Sul (RS) criou um grupo chamado Grupo Palmares, idealizado pelo poeta gaúcho Oliveira Silveira. Tal sociedade de pensadores e poetas sobreviveu até mesmo o AI5 (Ato Inconstitucional número 5) e sua desconfiança absoluta, tendo que provar que o grupo de teatro unificado ao grupo nada tinha a ver com um grupo “subversivo”. A resistência vem de todos os lados.

E você tem consciência?
Beijos.


BRASIL GAME SHOW - UM SONHO


Olá Pockets!!



Como estão? Hoje venho apresentar para vocês, a Brasil Game Show (BGS), a maior feira de game da America Latina que desde 2013 acontece em São Paulo, embora ela tenha iniciado em 2009 no Rio de Janeiro.

A feira já está na sua 10 edição, ela foi inspirada pelo empreendedor e empresário Marcelo Tavares, que é um apaixonado por game, ele tem mais de 350 consoles e mais de 4 mil jogos gente ( é muito amor).

Marcelo Tavares diz que "Nosso objetivo é compartilhar com os games não apenas os principais momentos do evento, mas também alguns episódios marcantes da história da indústria no país”.



A BGS 2019 aconteceu do dia 9 a 13 de outubro, sendo que no dia 9 foi aberto somente para imprensa e influenciadores, o evento ocorreu na Expo Center Norte. Contou com vários patrocinadores e convidados internacionais. 

A playstation marcou presença, e fez um estande maravilhoso para os amantes do seu jogo Fortnite, a mesma trouxe o ônibus para você se jogar no campo de batalha, a famosa lhama como touro mecânico, aplicação de tatuagem do fortnite, além de uma gama de oportunidades para utilizar seus consoles e jogar os jogos que cada um mais gosta. 

A Xbox também não ficou atrás e trouxe um espaço incrível para seus jogadores, a mesma tinha espaço para Just Dance (eu amo) e era lindo ver a galera dançando todos juntos, é uma emoção e diversão única, não existe vergonha, existe diversão. Também liberou seus consoles para você jogar e testar os lançamentos. Sorteios de xbox, console, jogos, card e muito mais. O campeonato de overwatch foi muito TOP!!


A Nintendo estava com um estande ótimo, com vários jogos para teste e com vários tipos de plataformas para os games aproveita. Ela estava lançando o novo jogo do "Luigi's Mansion 3", e contou ainda com a presença do ilustre dublador do Luigi e Mário Charles Martinet, infelizmente todas as vezes que fui para a fila não conseguir pegar o autografo dele (triste),  mas a oportunidade de vê-lo foi incrível, super atencioso com os fãs. 


Além da oportunidade de você jogar, e em qualquer plataforma, você poderia assistir a vários campeonatos teve de BGS Esports - CS:GO masculino e feminino, Pro Kompetition, Crossfire e Qualificatória para o Major de Gears 5. 
Vários estandes como Razer (adorei os desafios de Pubg lite), Facebook  gaming, epic games, Aorus, Asus, intel, oex game, dell, falkol, etc fizeram divulgações dos seus produtos, sortearam prêmios e liberaram suas máquinas para os games, ter a oportunidade de utilizar todos os produtos adequados e de última geração para quem ama jogar. 



A feira estava recheada de cosplay, e gente só cosplay maravilhosos, eu admiro muito toda o trabalho e produção que os cosplays fazem para homenagear seus personagens favoritos. E a BGS ainda fez concurso de coslplay todos os dias, e confesso que tenho vontade de fazer cosplay um dia. (rsrs). E tinha muitos influenciadores como Gabriela Zambrozuski, Jeff Feng, Alanzoka, Loud Coringa, Cherry, Pai Também Joga, etc. 

E claro tinha vários convidados ilustre, criadores, atores, diretor, fundador de jogos como

Hidetaka Miyazaki , John Romero , Al Lowe, Shota Nakama, Yoshinori Ono, Ed Boon, Gary Stern. 




Foi a primeira vez que participei, e foi emocionante está mundo que você adora, compartilhar com outras pessoas e poder conhecer Streamings que você segue é muito massa. Foram momentos inesquecíveis.

Como o lema da BGS diz, AQUI SE JOGA! e você o que joga? Já participou do evento??


Beijos...


CONQUISTADA POR UM VISCONDE - HORA DO CHÁ

“As palavras eram apenas palavras, afinal. Fácil dizê-las; fácil esquecê-las.”


Oi Pockets!!!

Vamos tomar aquele chá? E falar um pouco sobre o livro  Conquistada por um visconde, onde você que gosta de romance de época vai adorar esses dois personagens, eles são divertidos. E Breckenridge é uma charme, que vai aquecer seu coração, mesmo sendo considerado o maior libertino de Londres.
Esse é o primeiro livro da trilogia irmã Cynster, onde iremos conhecer a família Cynster e as mulheres dessa família impõe suas opiniões, e até mesmo para escolher seu herói.


Título: Conquistada por um Visconde
Autora: Stephanie Laurens
Editora: Harper Collins
Ano: 2016
Nº de páginas: 368
Classificação: 4

SinopseLondres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja... Skoob)


RESENHA:
Heather Cynster faz parte do clã Cynster, onde as mulheres são fortes, independentes e tomam a frente nas decisões da família. E todas tem a opinião de se casar apenas por amor. Mas Heather já está perto de completar 25 anos, e nesse tempo pela sociedade estaria fora do páreo para casar. Então ela toma a decisão de procurar seu herói fora dos bailes padrões para as damas do nível dela.

Porém o plano não sai como esperado, ela mal entra no evento e é interceptada por seu vizinho Breckenridge, que acredita que esse não é ambiente para ela. Manda a mesma ir embora para casa, mesmo contrariada e debatendo sai da festa, xingando Breckenridge. E acontece o inesperado, ela é sequestrada. Mas por "sorte" Breckenridge vê e começa a perseguir a carruagem.


"Para ela, ele sempre se mostrou como realmente era — perigoso e imprevisível. E não o tipo de homem que devesse jamais ser subestimado, muito menos ignorado."

Começa a saga para salvar Heather de seus captores. Heather é esperta, e mesmo se fingindo de mocinha frágil, começa a descobrir o que pode sobre seu sequestro, e a noticia não é boa, mandaram sequestrar qualquer uma das irmãs Cynster. Mesmo nervosa, ela pensa nas irmãs e primas, e sua força aumenta para descobrir quem está por trás desse plano cruel.

A sorte de Heather é que Breckenridge conseguiu seguir os sequestradores e está numa missão de se esconder e encontrar o momento certo para salvar a mocinha. Breckenridge tem a oportunidade quando eles param em uma pousada, porém para sua frustração Heather não aceita fugir com ele, pois quer descobrir mais sobre o mandante do sequestro, Breckenridge aceita, mas assim que souberem mais, eles vão embora. 

E quando chegam no local de entrega de Heather, eles organizam um plano de fuga, pois a qualquer momento o misterioso mandante chegará para buscar Heather, e como não conseguiram descobrir quem é o mandante, melhor plano é fugir de seus captores.


"Se o desejo era uma chama, ele a queimou. Se a paixão era um chicote, ele a açoitou. Se a carência era uma tempestade, ele convocou-a para se despejar furiosamente sobre ela."
Eles fogem juntos, iram fazer um percurso enorme para chegar no vale onde Heather tem família e terá proteção. Breckenridge e Heather começam a perceber um forte sentimento um pelo outro, porém nenhum toma iniciativa pensando que o outro não sente o mesmo. E pelo caminho vão se conhecendo mais, e descobrindo outros pontos em comum. Para proteger a reputação de Heather eles se passam por casados, e nessa divisão de quartos, as coisas esquentam e vão partilhar mais que uma cama.
Breckenridge e Heather mesmo sendo perseguidos pelo mandante do sequestro, conseguem chegar no vale e na proteção da família, onde começa mias uma batalha, a pressão de Breckenridge para casar com Heather para nas palavras dele salvar sua reputação e a negação de  Heather que só que casar por amor, e não vai aceitar enquanto Breckenridge não demonstrar.

Breckenridge e Heather são duas pessoas que presam a família acima de tudo, que tem opiniões fortes e que lutam por elas. Que discutem de igual para igual, e mostram que a diferença de idade não faz diferença, desde que exista o respeito pelo outro.

Esse é o primeiro livro da trilogia das irmãs Cynster, e talvez por isso a leitura seja um pouco mais lenta, existe momentos que acabam sendo cansativos, porém é uma boa história com dois personagens determinados que se amam a tempos, mas que foi preciso uma situação difícil para lutarem pelo seu amor.

Já iniciei a leitura do segundo livro, depois conto mais sobre a trilogia. Bjs

Até mais...


RESENHA GAROTA EXEMPLAR - GILLIAN FLYNN

O Casamento Mata.


"Tem uma grande diferença entre realmente amar alguém e amar a ilusão dela."
                 Amy Elliot

Oi, Pockets! Tudo bem?

Segurem-se nas cadeiras que lá vem história. Hoje é dia de falarmos da nossa leitura coletiva do mês de Outubro. É com muito prazer que lanço a resenha do aclamado thriller Garota Exemplar (2012, Gillian Flynn).

Esta é a segunda vez que um livro desta autora e selecionado para nossa Leitura Coletiva. E já dá para começar a perceber alguns aspectos da escrita e construção de personagens da autora. Primeiro vamos a sinopse e depois as nossas impressões.

Titulo: Garota Exemplar
Autor(a): Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 448
Ano: 2013
Classificação: 3,5

"Isso me leva a pensar que todos estão muito errados, que o amor deveria ter muitas condições. O amor deveria exigir que os dois parceiros dessem o melhor de si o tempo todo. Amor incondicional é um amor indisciplinado, e, como todos vimos, amor indisciplinado é desastroso."

Sinopse:
Uma das mais aclamadas escritoras de suspense da atualidade, Gillian Flynn apresenta um relato perturbador sobre um casamento em crise. Com 4 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo – o maior sucesso editorial do ano, atrás apenas da Trilogia Cinquenta tons de cinza –, "Garota Exemplar" alia humor perspicaz a uma narrativa eletrizante. O resultado é uma atmosfera de dúvidas que faz o leitor mudar de opinião a cada capítulo. Na manhã de seu quinto aniversário de casamento, Amy, a linda e inteligente esposa de Nick Dunne, desaparece de sua casa às margens do Rio Mississippi. Aparentemente trata-se de um crime violento, e passagens do diário de Amy revelam uma garota perfeccionista que seria capaz de levar qualquer um ao limite. Pressionado pela polícia e pela opinião pública – e também pelos ferozmente amorosos pais de Amy –, Nick desfia uma série interminável de mentiras, meias verdades e comportamentos inapropriados. Sim, ele parece estranhamente evasivo, e sem dúvida amargo, mas seria um assassino? Com sua irmã gêmea Margo a seu lado, Nick afirma inocência. O problema é: se não foi Nick, onde está Amy? E por que todas as pistas apontam para ele? (Skoob)


Resenha:
Nick e Amy se conheceram em Nova York em uma festa de amigos que atuavam na mesma área que ele, jornalismo. Amy e formada em psicologia, assim como os pais, filha única, e uma garota que vive como o personagem perfeito criado pelos pais, que ganharam muito dinheiro com uma série de livros Amy exemplar o que deixou a família rica.
Nick é o estereótipo do garoto bonito e rico, porém veio de uma família pobre e disfuncional. Um pai extremamente agressivo, desde cedo por causa da agressividade do pai, busca sempre a aceitação dos outros e engole os sentimentos de raiva e frustração. 
Ele o gêmeo de Go, uma mulher que ficou com marcas profundas do relacionamento abusivo dos pais.
Quando a carreira de Nick declina e ele é despedido de seu trabalho como jornalista revolve voltar para sua cidade natal já que a a mãe estava muito doente e o pai com Alzheimer.
No dia em que deveria comemorar seu aniversário de 5 anos de casados Nick volta para casa e descobre que sua esposa desapareceu. E neste ponto começamos a ver, através de recordações, como foi o relacionamento dos dois. A autora consegue nos mostrar características dos personagens que torna impossível gostar deles. Amy é tão dissimulada que consegue enredar em sua trama até mesmo o leitor, Nick por sua vez é um homem fraco que não esta habituado a ser responsabilizado por aquilo que acontece em sua vida.

Já aguardando personagens problemáticos e multifacetados, a “dona” Gillian Flynn não decepcionou nessa obra dividida em três partes. Senhora de uma precisão ímpar, a autora de também incrível Objetos Cortantes  (2006) traça milhões de perfis para cada momento vivido por seus indivíduos fictícios.

Apesar de os principais narradores da historia (Amy e Nick) não serem confiáveis a autora constrói uma trama bem intrincada com personagens com comportamento muito semelhante ao que encontramos na vida hoje em dia onde muitas pessoas vivem interpretando papeis o que torna muito difícil conhecer de verdade as pessoas.

"Há uma responsabilidade injusta que vem do fato de ser filha única - você cresce sabendo que não tem o direito de desapontar, não tenho nenhum direito de morrer. Não há um substituto por perto; é você. Isso a torna desesperada para ser Impecável, e também a deixa embriagada de poder."

Coberto de frases de efeitos, o alerta de trocadilho exemplar envolve seus leitores numa trama crescente, cujos antagônicos sentimentos “bem e mal” são postos à prova, dando a seus consumidores a árdua tarefa de descobrir o que é FATO e o que é FAKE. Entrega feita com sucesso.


Nick já recebe o estigma de vilão logo de cara, contudo, sem medo de parecer spoiler-girl, aviso: essa carapuça não serve todo tempo em nosso protagonista.

Em contrapartida, a adorável, loira e delicada Amy nos brinda com um diário detalhado sobre tudo, inclusive o relacionamento dos dois, datado desde 2005 (eles nem se conheciam!). Toda romântica, porém com ares de insegurança quanto à aparência, cobranças internas e mais a diante a não tão estável relação amorosa com seu par à luz de seus medos e anseios.
Entretanto, maniqueísmo e caráter reto não são os pontos altos das personagens desenvolvidas pela autora do perturbador conto O Adulto (2015). Numa aterrorizante brincadeira de “quem está mentindo”, o casal é presa e predador um do outro; fazendo os pêlos da nuca dos adoradores de mistério se arrepiarem a cada capítulo.


A estadunidense, além de jornalista é uma excelente contadora de histórias, isto é indiscutível. Com personagens secundários muito bem trabalhados, prontos para engordar um enredo tão curioso, Gillian escolhe a dedo as palavras tanto nos diálogos quanto nas ações descritivas.

Apesar de ter um inicio meio lento, a trama tem ótimos Plot Twist que torna difícil largar o livro depois da pagina 100 ( siga meu conselho nunca abandone um livro antes da pagina 100 😉).

- Mais de um ano - disse Go - E nem desconfiei. Oito mil conversas embriagadas e você nunca confiou em mim o suficiente para me contar. Não sabia que você podia fazer isso, esconder totalmente algo de mim.
- É a única coisa.
Go deu de ombros: Como posso acreditar em você agora? (...) p. 179

Diga-se de passagem, Go (Margo Dunne, irmã de Nick) é uma coadjuvante de luxo, munida de personalidade, sagacidade e uma pitada de agente temporizador dentro da trama.


Dividindo opiniões, no grupo de WhatsApp “Sociedade Literária”, sobre o gosto do enredo, é de suma importância ressaltar a qualidade da escrita. Ou seja: você pode até não gostar, mas precisa admitir... Gillian Flynn é uma grande, contundente, ardilosa e arrebatadora autora. Parafraseando The New York Times.
Este livro gerou ótimos debates no nosso grupo, como os livros com mistério quase sempre geram. Eu acabei dando 3,5 de nota por causa de alguns detalhes do final que esperava que se desenrolassem de outra forma.

No mais, este engenhoso e perverso casal _ Parafraseando Entertainment Weekly_ foi para as telonas em 2014 (Roteiro: Gillian Flynn, Direção: David Fincher, Distribuição: Fox Film). Protagonizado por Ben Affleck (Nick) e Rosamund Pike (Amy), indicada ao Oscar de melhor atriz (2015). O filme que conta com um vasto cartel de indicações cinematográficas, levando alguns prêmios pra casa, está disponível na plataforma streaming Netflix. Vale a pena conferir.

Enquanto estava preparando este post descobri este blog muito legal que deixa a gente com a sensação de que a historia realmente aconteceu clica aqui e vai lá conferir.

E ai ficou curioso com este livro?
Já viu o filme?
Me conta tudo ai que eu quero saber a sua opinião.
Beijos
Até a próxima!


DESAFIO LITERÁRIO 2019 - NOVEMBRO


Oi Pockets!!!

E novembro chegou!
Sei que a gente sempre fala isso mas, o tempo está voando!
Não deu para ler a TBR toda mas, ainda da tempo de ler mais alguns livros do desafio e para o mês de Novembro selecionamos algumas dicas para o nosso #DesafioLiterario2019CP claro que você sempre pode encaixar os livros da sua estante. O importante é participar do desafio seja com um, dois ou três livros. Então vamos aos desafios deste mês:



1 - Livro publicado  no ano dos eu nascimento: Cujo - Stephen King
Este desafio é legal mas a cada ano fica mais difícil á que não encontrei tantos livros assim do meu ano de nascimento que ano é não vem ao caso rsrsrs. Mas descobrir o ano vai ser super fácil.
Cujo (Cão raivoso) é um romance de terror psicológico escrito pelo mestre do terror Stephen King. Com um drama familiar, o espirito de um assassino e uma das cidades clássicas das historias do King ( Castle Rock ) acho que vai dar para se divertir bastante. 

Este livro ainda recebeu uma adaptação para as telas em 1983 confere o trailer aqui a acima. 

2 - Livro com protagonista ou autor negro: O ar que ele respira - Brittainy C. Cherry
Eu escolhi livro de uma autora negra. Esta autora é a responsável pela serie Elementos que contém 4 volumes. O escolhido é o primeiro da série e já está na mina estante desde janeiro de 2017. É isso mesmo, você não leu errado, e olha que a vontade de ler ele era em grande. O problema é que falta o ultimo livro da serie e eu não gosto de ler serie que não tenho completa. Mas agora vai e se eu gostar já engato a serie toda.



3 - Livro de capa azul: A Casa das Marés - Jojo Moyes
Este desafio foi escolhido em homenagem ao Novembro Azul pois a gente não ia deixar de fora esta campanha tão importante.


A Jojo também é uma das mina autoras favoritas sendo que tenho quase todos liros dela apesar de não ter lido tudo ainda. Este livro tem uma capa linda e gosto muito como a autora tem muita habilidade para contar historia que desenrolam com grande diferença de tempo relacionando acontecimentos do passado e do presente. 

Claro que ainda teremos a leitura coletiva no nosso grupo do WathsApp do livro Esposa perfeita que inicia dia 04 de Novembro, no grupo da Agatha este mês vamos ler A morte do almirante e seguimos firmes na leitura de A tormenta das espadas no grupo de GOT


É só escolher a sua leitura e se jogar com a gente nestas paginas recheadas de romance, mistério, suspense, terror.
E não se esquece se participar do desafio coloque a #DesafioLiterario2019CP para que eu possa curtir e comentar.

Beijos
Até a próxima!







© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo