ULTIMAS POSTAGENS

RESENHA - OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES - STIEG LARSSON

Oi Pockets!!!
A resenha de hoje é uma leitura que eu levei seis anos para concluir. 
Calma, deixa eu explicar!!!!!

Titulo:Os homens que não amavam as mulheres
Autor: Stieg Larsson
Ano: 2008
N° de paginas:522
Classificação: 5
Editora: Companhia das Letras

Resenha:
Em 2012 eu assiste a versão americana desta obra incrível e fiquei doida com o filme. Em minhas andanças me deparei com um  box novinho em um sebo na minha cidade que continha a trilogia da obra ( até então era uma trilogia) e claro que pedia de presente de natal em 2013. Estava super empolgada para ler mas... não foi como eu esperava.
O filme estava muito fresco na minha memória e era impossível me fixar na historia que parece muito confusa no inicio. Acai abandonando a leitura e nunca mais me aventurei a uma nova tentativa.
Seis anos se passaram, muitas leituras depois surge novamente a oportunidade de ler com um grupo de leitura coletiva de uma amiga.
Confesso que as primeiras 100 paginas ainda foi um desafio, são muitos nomes e sobrenomes suecos que só contribuem para deixar a leitura complicada. Mas desta vez a meu favor, a pesar de lembrar um pouco, a historia me pareceu totalmente nova, os detalhes estavam obscuros para mim o que fez a leitura ser simplesmente incrível.


A história se inicia com as enigmáticas flores recebidas durante quase quarenta anos no aniversario do Industrial aposentado Henrik Vanger. O capitulo 1 é todo dedicado a apresentar o Jornalistas Mikael Blonkvist jornalista editor co-presidente da revista Millennium, que após denunciar um grande empresário sueco por fraudes, não consegue provar suas denuncias e acaba derrotado em uma ação judicial sobre difamação

O capitulo 2 seremos apresentados a Lisbeth Salander uma jovem de 24 anos punk, tatuada, agressiva, super inteligente e com serias dificuldades de se relacionar.
Apesar de Lisbeth investigar e preparar um dossiê sobre Mikael no inicio da historia a interação entre os dois, Mikael e Lisbeth, só ira acontecer na página 300.

Fonte Pintrest
"uma jovem pálida, de uma magreza anoréxica, com cabelos quase raspados e piercings no nariz e na sobrancelha. Tina uma tatuagem de uma vespa no pescoço e uma faixa tatuada ao redor do bíceps do braço esquerdo(...)"

Em seu afastamento da Millenniun, Mikael é contratado por Henrik para escrever uma crônica sobre a família Vanger porém o objetivo real e desvendar o misteriosos desaparecimento de Harriet. 

Imagem do Google, presente no livro pag. 97

Harriet Vanger desapareceu misteriosamente em 1966 quando tina 16 anos, 36 anos atrás, sem deixar pistas na ilha de Hedeby, um local que é quase propriedade exclusiva da poderosa família Vanger. Apesar da longa investigação policial a jovem de 16 anos nunca foi encontrada.


Mikael começa então seu trabalho de rever todo o arquivo acumulado pelo Henrik, tio avô da jovem desaparecida.
Não vou contar mais para não dar spoiler mas a medida em que trama vai se desenvolvendo percebemos que  existe muito mais por trás do desaparecimento de Harriet. 

"Depois descobri que o parentesco não é uma garantia de amor (..)"

Uma história de família que envolve nazismo, violência, mistérios mortes e muito mais, que segurou totalmente presa à trama até a ultima paginas.

"As pessoas queriam acreditar que Hitler era Deus: é o que a propaganda dava a entender." 

"Lisbeth não conhecia uma unica garota que, pelo menos uma vez, não tivesse sido forçada a realizar algum tipo de ato sexual."

Os protagonistas são carismáticos e fortes, você se envolve tanto nas vidas de Mikael e Lisbeth que em determinado momento a saga dos dois passa a ser até mais importante que a trama que conduz a história.
Eu  desconfiava que a Lisbeth fosse "diferente", mas no capitulo 27 o autor traz uma revelação que deixa esta personagem ainda mais incrível. Mikael levanta a hipótese de Lisbeth ser portadora da síndrome de Asperger, o que explicaria muito coisa sobre a personalidade da personagem.
Este livro foi adaptado duas vezes para as telas e as duas são muito boas.

Em 2009 temos a adaptação sueca dirigida por Niel Arden Oplev que recebeu ótimas criticas quanto a adaptação do livro.   


Temos também a versão de que estreou em 27 de Janeiro de 2012, com direção de David Fincher e que inclusive levou o Oscar de melhor montagem.


Esta versão de 2012 foi a que assisti.
Nosso objetivo na leitura coletiva é ler os três livros escritos por Stieg Larsson e quem sabe também as continuações escritas por David Lagercrantz.

Agora me conta ai nos comentários se você já leu o livro ou viu algum dos filmes. Vamos conversar!!!
Beijos...



Um comentário:

  1. Que delícia de post, Ju! Minha releitura foi fantástica principalmente por ter você pra ir comentando. Amei. E que venham os próximos. Beijão

    ResponderExcluir

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo