ULTIMAS POSTAGENS

PRIMEIRAS IMPRESSÕES - NIHIL

Oi gente, como vocês estão?
Ando sumida pois a vida esta muito louca, tempo para as coisas que amo anda faltando, mas não podia fechar esta semana sem compartilhar com vocês  minhas primeiras impressões deste livro.


Sinopse Nihil: Enclausurado por muito tempo, o ser humano definha.Do lado de fora, uma espessa neblina dominou países inteiros. Ela mata quem se arrisca a desbravá-la, espalha vísceras, sangue e entrega os gritos a um estranho lugar sem cheiros, sons, luz ou escuridão.Do lado de dentro os sobreviventes enfrentam sua subsistência. Não há água encanada, ondas de rádio ou energia elétrica. Falta comida e os sentimentos são confusos e intensos.Não há sol ou chuva para se observar. Não há divisão entre dia ou noite. Os relógios estão parados e qualquer esperança já se fragmentou, mesmo que alguns ainda esperem por algo que já nem sabem se existe ou mesmo se tem um nome.

A Carolina Mancini, autora, me convidou a ler uma degustação do livro (confira mais dela na entrevista aqui no blog), suas primeiras 44 paginas. Confesso que esta é a primeira vez que faço isso, e fiquei muito ansiosa pela leitura. Recentemente eu participei de um projeto "Livro Viajante" promovido pela Lua do blog "Caderno da Lua" do seu primeiro livro "Dias de chuva" (resenha) eu amei o livro. Mas nada me preparou para os sentimentos que me acompanharam na leitura desta primeira impressão.

– Feche a janela, meu querido. Não há nada para ver lá fora. Não há nada para ver.


"– Feche a janela, meu querido. Não há nada para ver lá fora. Não há nada para ver."

Quando iniciei a leitura algumas coisas ficaram claras para mim, o mundo está coberto por uma névoa. Algo terrível aconteceu, obrigando as pessoas a se trancarem em suas casa. Quem se aventura a buscar ajuda, alimentos ou outros sobreviventes não retorna, fazendo com que as pessoas refugiadas tenham cada vez mais medo de sair de casa.
A primeira parte e angustiante, a autora tem um talento absurdo para transmitir por meio dos seu texto os sentimentos, emoções que os personagens estão passando.
Tudo me leva a crer que se trata de uma guerra biológica, apesar de até onde pude ir na historia este fato não ter ficado claro apenas subentendido.

"desculpe a frieza, mas o bombardeio lá fora não me deixa mais escrever poesias."

Cada pessoa ou grupo de pessoas tenta lidar com a dor e sofrimento de uma maneira. A solidão, isolamento e a angustia que é passada me fez questionar se os personagens na realidade não estão vivendo dentro de um pesadelo coletivo (acho que deu para perceber meu nivel de ansiedade).
Um livro que me deixou com dificuldades para expressar como me senti, e que com certeza precisarei ler para saber o que vai acontecer com os personagens.

Se fosse para defini-lo com poucas palavra seria envolvente e angustiante.


– Feche a janela, meu querido. Não há nada para ver lá fora. Não há nada para ver.

– Feche a janela, meu querido. Não há nada para ver lá fora. Não há nada para ver.
O lançamento esta marcado para o dia 26/05, e se você for de São Paulo não pode perder este lançamento.

Lembrando que você pode garantir o seu exemplar entrando em contato diretamente com a autora Carolina Mancini pelo Facebook, Instagram ou Blog .
Eu vou garantir o meu e prometo que volto para trazer uma resenha completa.
Beijos...




Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo