ULTIMAS POSTAGENS

Um inimigo do Povo - Henrik Ibsen

Oi Pockets!

“Não! A maioria nunca tem razão! Esta é a maior mentira social que já se disse!”

É com essa frase que inicio a dica de hoje do livro: "Um inimigo do povo", um dos livros que mais gostei até agora, esse é aquele livro que a cada página tem pontos a serem refletidos e questionados. Uma peça de teatro escrita em 1882, mas é muito atual, embora fale muito em relação a política na história, podemos perceber as artimanhas que acontecem em vários ambientes do nosso cotidiano, do ambiente de casa, amizades e trabalho.

Na história iremos conhecer o Dr. Thomas Stockmann, médico de uma pequena cidade na costa meridional da Noruega, além de médico da cidade é também da estação balneária, que foi idealizada por ele quando estava longe de sua cidade, com o apoio do seu irmão Peter que é o prefeito da cidade. Foi posto em prática a estação, gerando assim crescimento econômico para a cidade e seus habitantes. Porém, ele desconfia das águas do balneário, e manda amostra para um laboratório,  quando descobre que a água está contaminada, tudo isso porque a encanação foi feita em um local impróprio. 

“Quando um homem tem bens, o importante é protegê-los, e não meter- se em questões políticas, Sr. Hovstad”

O médico é bem visto na cidade, e por isso acaba recebendo muitas pessoas em sua casa, dois deles é do jornal a: ” Voz do Povo”, Hovstad e Billing, que ao saber da notícia da contaminação do balneário se põem ao lado do médico, o que deve ser divulgado  aos cidadãos, para eliminar os governantes que abusam do poder e prejudicam o povo. Além deles, chega o impressor do jornal, Aslaksen, que também é Presidente da "Associação de Pequenos Proprietários", que ao saber do fato também se põe à disposição do médico para buscar simpatizantes para a causa do médico, pois ele tem o povo ao seu lado.  

“Quando se pertence a um partido político, não se pode atrever- se a tomar atitudes independentes”

O Dr. Stockmann pede apenas que o aguardem mandar o relatório à seu irmão Peter, o Prefeito, pois tudo pode se resolver pacificamente. Mas em cidade pequena, nada fica em segredo por muito tempo, e logo a notícia se espalha. O Prefeito não aceita o relatório e diz que o irmão esta alarmando à cidade por nada, e que isso vai prejudicar tanto o local quanto seus concidadãos. Porém Thomas é inflexível e vai contra o irmão, começando uma verdadeira batalha de quem tem mais “poder”. 

Thomas acha que já tem tudo ganho por ter o apoio dos jornalistas e do “povo”, porém ele irá se decepcionar ao descobrir que seu irmão conseguiu virar o jogo e colocá-lo como o grande vilão da cidade. Peter suborna os jornalistas e a partir daí Thomas será um adversário solitário contra a corrupção e o abuso de poder do irmão e dos associados do balneário. 

“Que sentido têm as verdades proclamadas pela massa, massa esta que é manobrada pelos jornais e pelos poderosos? São velhas e caducas”

Se vendo sozinho, Thomas faz uma assembleia que acaba sendo irreal, um dos pontos mais alto da história, iremos ter a participação dos cidadãos, teremos revelações que são tão reais que deveriam ser publicadas em todos os cantos e mídias. Essa história é uma crítica a sociedade, ao abuso de poder, aos políticos, ao POVO e sua “cegueira”, corrupção, ao interesse individuais, etc. 

“Em última análise: os poderosos, os mesquinhos, os interesseiros, cultivam a ignorância para se manterem no poder e obter lucros e vantagens”

E é interessante ver a relação da família, a esposa muito melindrosa, pensando na situação dos filhos mais novos, a filha já inteirada que apoia o pai. Um sogro que acha tudo uma brincadeira e jogada de Thomas. E com todo esse cenário, temos personagens de todos os tipos e pensamentos, que podemos ver no nosso cotidiano, principalmente agora nesse período de eleição. Eu fiquei em êxtase com as falas do Dr. Stockmann na assembleia, um verdadeiro show de verdades não ditas, de questões que ficam encobertas, e claro do ponto de vista adverso ao outro, pois se você não pensa igual ou segue a mesma “doutrina” você deve ser temido.

“A opinião pública, meu caro Thomas, é uma coisa muito relativa, varia muito, compreende?” 

Seu eu pudesse falaria mais desse livro, porque eu simplesmente fiquei encantada que em poucas páginas, há tantas questões importantes e necessárias a serem debatidas. 

Recomendo demais a leitura. Para finalizar, uma frase que mais gostei: “O homem mais poderoso que há no mundo é o que está mais só”, uma verdade inegável. 

Beijinhos e até mais!!




Um comentário:

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo