ULTIMAS POSTAGENS

Os sete maridos de Evelyn Hugo - Taylor Jenkins Reid

Oi Pessoal!!!

Acho que quem nos acompanha já sabe o carinho que temos pelo nosso grupo de leitura coletiva #SociedadeLiterariaCP, são leituras super envolventes e este grupo é como uma grande família. A segunda leitura do ano de 2021 não foi diferente. O tema para indicações era LGBTQI+, e entre os indicados nosso grande vencedor foi o livro Os sete Maridos de Evelyn Hugo.


Confesso que estava com o pé atrás, isso sempre acontece com livros muito haypados, fico com medo de me decepcionar pois tem muita expectativa. Este livro fez parte da Caixa Literária TAG Inéditos, por sinal uma edição lindíssima, em Abril de 2019 e de lá para cá se tornou uma febre entre os IG literários despertando a curiosidade cada vez maior.

Imagem de divulgação TAG 

O livro se inicia com a jornalista Monique Grant sendo informada por sua chefe Frankie que ela foi escolhida pela lenda do cinema Evelyn Hugo para fazer a entrevista para a revista Vivante. Aparentemente nada justifica a escolha, já que Monique não é conhecida no meio jornalístico e não tem nenhuma relação com a atriz.
Mas esta pode ser a chance que Monique estava esperando para se tornar uma grande jornalista e quem sabe um futuro como escritora. Ao chegar no apertamento de Evelyn Hugo ela se surpreende com uma proposta que pode mudar toda sua carreira, escrever a biografia da atriz. 
"Ah, eu sei que o mundo prefere mulheres que não têm noção do próprio poder, mas eu estou de saco cheio disso"
A narrativa extremamente envolvente, todos os desafios e atitudes que  a atriz tem de tomar para chegar ao sucesso não é só chocante mas também é uma verdadeira lição de determinação.
O principal fato da vida desta atriz são seus vários casamento, sete no total, mas o que está por trás das motivações destes casamentos é o grande ponto da vida de Evelyn. Ela mostra como a verdade muitas vezes contadas nas mídias e redes sociais é apenas uma pequena parte da história.


Evelyn se mostra uma mulher tão manipuladora quanto bela, mas ela também tem um lado de verdade, que mostra o ser humano capaz de fazer qualquer coisa para alcançar os objetivos que ela colocou para sua vida.
"Quando surge uma oportunidade depara mudar sua vida, esteja pronta para fazer o que for preciso. O mundo não dá nada de graça para ninguém, só tira de você. Se conseguir aprender alguma coisa comigo, provavelmente vai ser isso."
Uma das perguntas que movem toda a historia é: "Quem foi o amor da vida de Evelyn Hugo?" 
Esta resposta irá conduzir toda a história desta impressionante personagem e o amor dela por outra atriz, Celia St. James, e a revelação do amor entre estas duas mulher que torna este livro tão único.
"As pessoas acham que intimidade tem a ver com sexo.
Mas intimidade tem a ver é com a verdade."
O relacionamento delas tem de ser mantido em segredo pois, além de prejudicar as carreiras delas, era algo considerado criminoso na sociedade em que o livro se passa, 1959.
O livro me surpreendeu muito, pois além de tratar de uma relação de amor entre duas mulheres, vemos também uma relação de amor entre dois amigos, Evelyn e Harry, a importância de você não rotular as pessoas de entender a verdade de cada um como única.
"Sou bissexual. Não ignore metade do que eu sou só para colocar um rótulo em mim, Monique. Não faça isso. (...)
Imagino que na época não fosse fácil chegar a uma conclusão dessas... de que estava apaixonada por alguém do mesmo sexo."

Evelyn não gosta de rótulos, e não questiona seu amor por uma mulher e este aspecto da história é um aprendizado. Mas na vida ou na arte as coisas não são fáceis de se conseguir e as escolhas para proteger este amor muitas vezes fará com que elas sofram muito.

"Não é errado", Celia insistiu."Não deveria ser errado amar você.Como pode ser?"

Mas o livro não é sobre o amor, ele também fala sobre violência doméstica, a nossa incapacidade de muitas vezes não sermos capazes de ver como somos forte, como nós permitimos muitas vezes que outros  nos coloquem rótulos, que a opinião dos outros não é nossa verdade.
Foi um leitura que me ensinou muito e eu só tenho a agradecer mais uma vez por fazer parte de um grupo que sempre me ensina através da leitura e do debate. A personagem passou por sete casamentos mas viveu apenas um grande amor.
"Sempre achei fascinante a maneira como as coisas podem ser simultaneamente verdadeiras e falsas, como o mesmo indivíduo pode ser bom e ruim, como alguém pode amar de uma forma linda e altruísta e ainda assim ser implacável na hora de arrancar o que quer da pessoa amada."
O final me surpreendeu pois além de revelar os motivos de Monique ser escolhida para escrever a biografia de Evelyn Hugo ainda trás para o debate a liberdade de se escolher viver ou morrer.
"Quando a gente ama alguém, precisa estar disposta a superar tudo."
Foi uma experiência fantástica e eu gostaria de saber se você já leu este livro?
Vamos conversar mais nos comentários, e para participar no nosso grupo de leitura coletiva e só nós procurar nas redes sociais.
"Saber o que procurar, saber que existem vários tipos de de amor por aí, e que todos são ótimos, já basta pra mim por ora."
Beijos e até a próxima!!!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo