ULTIMAS POSTAGENS

Resenha: Uma Viagem Através da Mente Insólita de Stephen King

Hey Pockets!

Tudo certinho?

Hoje o papo é sobre o Mestre do Terror! E em dia de festa! 21 de setembro, há 73 aninhos nascia o nosso “mais querido” Stephen King. Então coloque seu chapeuzinho, pega um refri e vem pra festa!

Título: Uma Viagem Através da Mente Insólita de Stephen King - Biografia Não Autorizada.

Autor: José Argelini Aquino 

Editora: The Books

Ano: 2019

Número de páginas: 164

Nota Classificação Skoob: Não Avaliado

Sinopse: Admiradores do mestre Stephen King, preparem-se para o novo trabalho do nosso autor José Angelini Aquino!

Nesta obra o professor de inglês nascido no Brasil, Jose Angelini Aquino nos apresenta, de forma ampla detalhes de uma viagem insólita pelo universo peculiar de Stephen King, o escritor norte-americano, reconhecido como um dos mais notáveis escritores de contos de horror e ficção de sua geração. Os seus livros já venderam quase 400 milhões de cópias, com publicações em mais de 40 países. Nessa biografia não autorizada o escritor brasileiro aborda temas da infância marcada pelo ausência do pai de Stephen King, revela seus medos, (sua coulrofobia) medo de palhaços que o levou a escrever IT A Obra Prima do Medo. Nesta obra também resgata-se os primeiros contatos do jovem King com a escrita e sua luta contra a dependência química. Uma história de vida impressionante da pobreza à fortuna , da solidão ao estrelato. A biografia não autorizada: "Uma Viagem Através da Mente Insólita de Stephen King" propõe-se a uma aula sobre como lidar com os medos existenciais exercendo o domínio sobre essas incertezas que estão alojadas nos calabouços mais escuros do nosso inconciente. O livro se presta também a repassar dicas que foram fornecidas por King em seu livro "SOBRE A ESCRITA". Livro esse, que foi aclamado pela crítica e imprensa americana. Sobre a Escrita não é simplesmente um livro, considerado por muitos fãs de King uma autobiografia dele e os aficionados em sua obra terão a sublime oportunidade de se aprofundar um pouco mais na vida pessoal do mestre do suspense (como, por exemplo, o acidente que quase o matou em 1999) e também ter acesso a informações técnicas de como se elabora a escrita de um bom livro. Esse livro na verdade é um manual do mago das letras feito na medida para aqueles que querem galgar as avenidas do sucesso como escritor. Concluo sobre este livro mencionado uma declaração feita pelo The Wall Street Journal: " Um Clássico incomparável. (Site oficial da editora)

Resenha: José Argelini Aquino, influenciado por seu amor pelo filho mais ilustre do Maine, destrincha alguns fatos curiosos - e por que não, peculiares - da vida antes do sucesso, as inseguranças, medos. Passeando brevemente sobre o mar de criatividade que é a obra de King. Finalmente enumera dados interessantes que orbitam os dias do aniversariante.

Quando foi aventada a possibilidade de lermos o livro de Aquino, me instigou bastante a premissa de ser uma biografia não-autorizada sobre um dos meus autores preferidos, (Ah vá, Eve! Ninguém sabia!) logo a expectativa foi para as alturas, convencida de que se tratava de uma pesquisa minuciosa - biografia tradicional - dentro da vida e obra do Steve, entretanto ao virar das páginas, me dava cada vez mais a sensação de estar lendo uma obra de fandom. Refleti em demasia durante a leitura em como poderia resenhar tal exemplar e depois de muito torrar a massa cinzenta achei por bem tratar a leitura como um formato novo de biografia - sem a fartura de detalhes usual e com muitas doses de panfletagem - e será assim daqui para frente neste singelo comentário comemorativo.

Por vezes escorregando na coerência, mas sempre voltando a caminhar sobre os trilhos - referência conto “Conta Comigo” do Rei - o autor revira o baú de memórias do velho mestre e revela circunstâncias pouco conhecidas para os leitores que não consomem o gênero; aos King-maníacos, gostosas memórias afetivas e pessoais diante da tietagem rasgada de Aquino. Se tratando de uma “biografia diferente” os detalhes são substituídos pela visão do biógrafo e onde lhe falta conteúdo de pesquisa profunda, sobra amor pelo setentão.

O professor de inglês peca diversas vezes em seu ofício de escritor de biografia e isso se justifica pela falta de investigação e domínio do legado literário de King; o próprio José Argelini admite não ter lido muitos livros de SK. Para o fã “raiz” - que sabe datas, títulos e curiosidade - se frustra por não ter “nada de novo” e não encontrar conjecturas mais contundentes. Todavia, para os leitores que estão pensando em se aventurar nas profundas e escuras águas oceânicas que representam vida e obra de King, é um bom começo.

"Apesar de só ter iniciado a carreira oficial de escritor em 1974, Steve já escrevia desde pequeno, mas saibam, as dificuldades da vida não seriam razões para que Stephen King desistisse facilmente de seus objetivos (...)"

Entre livros, curiosidades e adaptações cinematográficas o biógrafo desenvolve e entremeia seu lado fã - máximo- com seu ímpeto de pesquisador- mínimo - culminando em 164 páginas dispostas em sete partes e epílogo. Apresenta títulos emblemáticos como Carrie, a estranha, o iluminado e It a Coisa; contextualiza a vida pessoal desde a tenra infância até os dias atuais, pincela a falta da presença paterna quando criança, a adolescência recheada livros, quadrinhos e películas em sua maioria de terror, os problemas com drogas - lícitas e ilícitas - e a vida pessoal com sua fabulosa  esposa Tabitha King e os talentosos filhos Owen e Joe. Nos faz recordar filmes icônicos como o angustiante Cujo (Cão Raivoso), o efervescente A Incendiária e o emocionante A Espera de um Milagre.

Como já foi citado, “Uma Viagem a Mente Insólita de Stephen King” conta com problemas graves de análise, se transformando numa leitura rasa, pouco consistente e longe de se encaixar numa biografia tradicional, não obstante serve muito bem como um guia para os leitores que estão começando a se interessar pela mente - fatalmente insólita - e pela gama de livros do autor norte-americano.

"_ (...) acontece que “Carrie” foi de fato um filme tão especial, que influenciou outros autores de filmes de terror. Em 1988, por exemplo, em “Sexta Feira 13: Parte VII (A Matança Continua)”, Jason enfrenta uma mocinha com poderes psíquicos, muito parecidos com os de “Carrie”, vale a pena lembrar._"

Como uma consumidora apaixonada tanto pelo autor quanto pelo gênero a leitura não arranca muitos suspiros e em pequenas repetições, beira ao tédio, embora este compilado tenha uma boa linha de escrita - inclusive bebendo da fonte do próprio King em seu livro “Sobre a Escrita” - além de uma condução inteligente dos fatos e compreensíveis bajulações, natural na relação entre fã e ídolos.

"Para se consolidar como escritor existe basicamente dois caminhos elementares que você deve galgar: Primeiro de tudo: Ler muito e escrever muito. Não existe outra maneira de obter sucesso que não sejam essas duas formas"

É de extrema importância sinalizar que as críticas e opiniões emitidas neste comentário são exclusivamente responsabilidade minha e não necessariamente compactuam com a opinião do blog e seus demais participantes.

"_ A escrita é, na realidade, o pensamento refinado do escritor._

”A escrita é o pensamento aprimorado”. (Stephen King)

No mais, é isso.

Vida longa ao Stephen King.

Fiquem bem e seguros.

Juízo!

Beijos trevosos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo