ULTIMAS POSTAGENS

CADÊ MEU HERÓI? - VICTORIA VAN TIEM

Oi pockets!!
Hoje a resenha é especial, pois é uma colaboradora convidada quem fez (Keila). Ela já nos adiantou que gosta muito dos anos 80 e que foi incrível reviver esta década através de uma história, então vamos lá conhecer?


Titulo: Cadê meu herói?
Autor: Victória Van Tiem
Editora: Verus
Ano: 2020
Nº de paginas: 252

Sinopse: Libby London se apaixonou nos anos 80, virou adulta nos anos 90 e agora, no século XXI, está desmoronando. Seu visual está mais para "tragédia vintage" do que "gata retrô", e sua predileção pelos anos 80 talvez seja a razão para ela estar estagnada na vida e no amor.Pelo menos é o que pensam seus amigos. Eles organizam uma " intervenção anos 80", em um esforço para atualizar o estilo e a vida de Libby. Entre sua temida festa de aniversário, a emboscada dos amigos e ser forçada a mudar sua loja, a Pretty in Pink, de lugar, Libby está ficando maluca. Mas como avançar quando o amor da sua vida mantém você no passado? Cadê meu herói? é um romance dramático, engraçado e agridoce, embalado pela trilha sonora dos anos 80, que prova que o primeiro amor nunca morre de verdade. (Skoob)
Resenha: Cadê Meu Herói é uma comédia romântica que tem como protagonista, a geniosa e insegura Libby London. Libby é uma mulher de trinta e dois anos que viveu o auge da sua adolescência nos anos 80. A grande questão é que a versão adulta de Libby agora vive no século XXI, mas se recusa a abandonar o estilo de vida que levava quando ainda era uma adolescente. Em seu visual nada discreto, não economiza nas cores, nas ombreiras e no laquê no cabelo vermelho estilo Julia Roberts no filme Uma Linda Mulher.  Ela é proprietária de uma loja que vende produtos retrô chamada Pretty in Pink, uma referência ao filme A Garota de Rosa Shocking. Aliás, referencias a músicas e a filmes dos anos 80 é que não vão faltar. Já no comecinho nos deparamos com a menção ao filme Clube dos Cinco que vai servir como analogia e ser citado muitas vezes ao longo da história. 
De volta ao século XXI, preocupados com o fato da Libby ter ficado estagnada no tempo, seus amigos resolvem fazer uma “Intervenção aos Anos 80” com o intuito ajudá-la a desprender-se do passado. Eles planejam finalizar o plano com chave de ouro na festa de seu aniversário de trinta e três anos. 
A partir daí a protagonista vai viver várias situações cômicas e inusitadas nos encontros às cegas orquestrados por seus amigos. Num dado momento a narrativa vai assumindo um tom mais dramático, e aos poucos vamos entendendo as razões que levaram Libby a se apegar tanto ao passado, mas mesmo assim a história não fica pesada. 
Na minha opinião, acho que a autora se empolgou um pouquinho nas referências, e a postura da Libby me irritou em alguns momentos. Em contrapartida, posso dizer que entendi as intenções da autora, e mesmo ficando meio impaciente em algumas situações, admito que dentro daquilo que ela quis abordar, a condução da história fez muito sentido. 
Apesar de ter saído ainda bebê dos anos 80, terminei a leitura com aquela sensação de nostalgia, uma certa “saudade do que a gente não viveu” haha. Acho que daqui pra frente vou até olhar para as ombreiras, e para as pochetes transparentes com um pouco mais de simpatia.  
Calma gente, só estou brincando, rs. 
De uma forma geral foi uma boa leitura.  E acho que a autora tocou num assunto bastante relevante que não vou me aprofundar agora para não dar spoiler. Ficou curioso (a)? Leia o livro      . Já vou adiantando que se você curte uma boa comédia romântica, com certeza vai gostar dessa história. 
Quanto a mim posso dizer que valeu a pena percorrer por cada página, rir um bocado, me irritar, refletir...e finalmente encontrar a resposta para a pergunta crucial “Cadê o herói da Libby?” 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo