ULTIMAS POSTAGENS

RESENHA - SENHORA - JOSÉ DE ALENCAR


"Entremos na realidade por mais triste que ela seja: e resigne-se cada um ao que é, eu, uma mulher traída: o senhor um homem vendido."

Olá Pockets!!

Como estão? espero que bem. Hoje vim apresentar para vocês um livro maravilhoso, e literatura nacional do autor José de Alencar. Ele possui vários livros publicados que realmente retrata a sociedade da sua época e a atual também.

Título: Senhora
Autor: José de Alencar
Editora: Martin Claret
Nº de páginas: 248
Ano: 2012
Classificação: 5

- Aqui estão as chaves de minha alma e de minha vida. Eu te pertenço; fiz-te meu senhor; e só te peço a felicidade de ser tua sempre!



Sinopse:
Uma moça de origem humilde, órfã de pai e posteriormente de mãe, torna-se uma das mulheres mais desejadas e admiradas do Rio de Janeiro após receber uma herança inesperada. Bela, altiva, fria e decidida, Aurélia Camargo tem agora toda a autonomia de que precisa e resolve usar o seu poder para comprar um... marido! Para algumas mulheres, Aurélia é certamente uma feminista; entre o público masculino, fria, calculista e sem coração; para os valores sociais da época, de um comportamento absolutamente escandaloso! Espelho da decadência de valores da sociedade brasileira durante o Segundo Império, Senhora representa o auge do romance urbano de José de Alencar. Como uma metáfora da alta apreciação de valores fúteis, como o luxo, a ascensão social, o desejo, o orgulho e a ambição, o romance de Alencar transcende-os com a inspiração do amor romântico. Poderá o amor vencer a mágoa e o orgulho para que possa ser pleno na vida dessa personagem?


"Eu o amo sem condições, e nunca lhe perguntei onde me leva este amor. Sei que ele é minha felicidade, e isto me basta."

Resenha:

A história fala sobre Aurélia uma moça linda e inteligente que apesar de pobre recebeu uma ótima educação juntamente com seu irmão. O Pai morre novo antes de ser reconhecido como filho de um fazendeiro rico, a esposa fica malvista pelo vizinho pois pensa que era amante do marido. O irmão dela Lemos a excluí por casa com um homem pobre.
O irmão de Aurélia trabalha fora, mas tem muitas dificuldades fazer seu trabalho porem a sua irmã super capaz faz o trabalho enquanto ele somente entrega. O irmão da moça acaba doente e morre e Aurélia e a mãe ficam passando por dificuldades.
A mãe de Aurélia preocupada com o futuro da moça pensa que a solução e casa a filha, para atrair os pretendentes a moça fica todos os dias exibido a sua beleza na janela de sua casa.
A beleza da moça é tão grande que quase o rio de janeiro inteiro comenta, vários rapazes se encantam por ela, mas nenhum chama a atenção da moça entre ele tinha um rapaz muito rico chamando Eduardo Abreu. 
Fenando Seixas e o homem da casa morava com duas irmãs e mãe, ele administrava o pequeno rendimento deixado pelo pai. Um rapaz acostumando com a corte e com os melhore trajes. Quando fica sabendo da moça na janela não tem muito interesse pois tem uma viagem para fora do estado, mas quando volta por coincidência os amigos voltam a falar do assunto por curiosidade vai até o local é fica encantado com a moça e passa a visita-la sempre.
Lemos tio de Aurélia ao saber de sua beleza queria se aproveitar com o arranjo matrimonial que a moça conseguiria, fez de tudo para tirar tudo que atrapalhasse seus planos.
Aurélia receber uma herança de seu avô é tudo que deseja é dar uma lição na pessoa que a trocou por dinheiro.
O autor mostrar nesta história, que não vale a pena colocar o dinheiro na frente dos sentimentos e também que qualquer relacionamento para ser duradouro deve sempre goza do diálogo sincero. Apesar de conta uma história antiga a tema é bem atual.



Curiosidades:
  • A primeira telenovela das 18h em cores, foi a adaptação do romance homônimo de José de Alencar "Senhora" .
  • Em 2005 a RecordTV produziu a novela "Essas mulheres". A trama foi baseada em três livros clássicos da literatura brasileira escritos por Jose de Alencar - Senhora (1875), Luciola (1862), Diva (1864).  
  • José de Alencar foi grande amigo de Machado de Assis (1839-1908), figura que o nomeou patrono da cadeira nº 23 da Academia Brasileira de Letras.
  • José de Alencar morreu as 48 anos no Rio de Janeiro, vitima de tuberculose.
  • Suas obras são marcadas por temáticas voltadas para o nacionalismo, a história e cultura popular brasileira.

Beijos até mais....



Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo