ULTIMAS POSTAGENS

Colin Fischer - Ashley Edward Miller, Zack Stentz

Oi pockets!!

Hoje vamos conversar sobre o livro que eu escolhi para cumprir o #DesafioLiterário2021CP de Abril

Este livro ficou na minha lista por um ano. Isso mesmo, em Abril de 2020, depois de uma live linda sobre Autismo em que uma das convidadas mencionou este livro, eu já fiquei com vontade. Mas como a lista é grande e a gente sempre está adicionando mais livros e eu demorei um pouquinho para chegar nele.


"Fui diagnosticado como altamente operacional, mas ainda tenho poucas habilidades sociais e problemas de interação sensorial que me dão déficits graves em áreas de coordenação física."

 Apesar de ter demorado a iniciar, o livro foi uma leitura muito gostosa. Colin Fischer está iniciando o ensino médio, e pela primeira vez frequentará a escola sem o apoio de sua acompanhante Marie. E como todo adolescente, não vai ser fácil se adaptar e se integrar à nova escola, principalmente estando no Espectro Autista. Para ele é um grande desafio fazer a leitura fácil das pessoas e descobrir o que estão dizendo. Para ajudá-lo, sua acompanhante criou um mapa de rostos que ele utiliza para tentar compreender melhor. 
"Colin vasculhou-a, olhando para trás e para frente entre os pictogramas e para Melissa, comparando aqueles com essa. Por fim, encontrou uma correspondência. Mentalmente, escreveu a palavra CONTENTE sobre a sua cabeça."
Claro que nem sempre isso será possível. Pois nós, seres humanos, nem sempre expressamos pelo rosto aquilo que realmente sentimos. Para auxiliar, ele também usa um caderno e sua caneta verde, onde faz anotações de situações do cotidiano para que possa "investigar" o sentido de muitos acontecimentos. 

É muito fácil gostar do personagem, ele tem uma carisma e característica que cativam o  leitor. Apesar de suas estereotipias, e talvez até por causa dela, o Collin é muito sincero. Tudo no mundo dele é preto ou branco, ela não finge sentimentos e também tem dificuldade de perceber fingimento nos outros. Muitos diálogos carregados de ironias pelos colegas podem ser interpretados por seu filtro como elogio.
Logo no primeiro dia na escola temos aquele confronto do Collin com outro aluno, Wayne Connelly, que literalmente enfia a cabeça de Collin na privada. Em um contexto diferente imaginamos que ele guardaria rancor, mas quando ele vê o mesmo Wayne ser acusado de levar e disparar uma arma na escola durante o intervalo ele decide "investigar" para provar a inocência do colega.

Achei incrível os autores usarem uma trama de investigação para apresentar o personagem, sua maneira de se relacionar com o mundo. Os pais do Colin, Susan e Michael Fischer, são muito carismáticos, eles dão todo o apoio e fornecem as ferramentas necessárias para que ele desenvolva. 
"A sra. Fischer levava Colin ao shopping center em Woodland Hills desde que ele era pequeno. Isso começou como uma parte da terapia de Colin, destinada a ajudá-lo a superar gradualmente seu medo de lugares novos."
Temos também o irmão mais novo, Danny, que talvez até por ter ciúmes de toda a atenção que os pais dão às necessidades do Colin, acaba sendo um tanto "maldoso" em algumas situações.
"Pronto para um contato?
Isso era um aviso, informando a Colin que estava prestes a ser tocado. Ele não gostava de ser tocado por nenhuma pessoa, nem mesmo pelos pais, embora fosse tolerante quando devidamente informado. Em algum nível, entendia a necessidade de contato Lera sobre isso em um livro"
A "investigação", digna de Sherlock Holmes, para tentar descobrir quem é o verdadeiro culpado levará nosso personagem a crescer e se desenvolver, mas também fará com que outros alunos da escola acabem entendendo um pouco mais de como funciona o mundo de um Autista.
"- O que você é, um idiota?
- Não - respondeu Colin. - Só tenho dificuldade de saber quando as pessoas estão fazendo piada."
Eu fiquei encantada com a historia, que mesmo sendo curta, conseguiu me transmitir muito sobre o comportamento dos autistas. Recomendo que se você também tem curiosidade, mas principalmente empatia, e quiser conhecer um pouco mais sobre o tema talvez este seja o seu livro.
Uma ficção cheia de aprendizado.
NOTA: “estereotipia” este é o termo médico para ações repetitivas ou ritualísticas vindas do movimento, da postura ou da fala.
E você gosta de historia inclusivas?
Já leu algum livro em que o personagem estava no espectro Autista?
Vamos conversar e trocar dicas de leituras.

Abraços!




12 comentários:

  1. Essa quarentena teve o efeito de me fazer buscar novos gêneros literários. Temas como esse tem entrado em minha lista. Ainda não tive a oportunidade de ler um livro com a vivência de um menino autista e como conheço pouco sobre o assunto, certamente seria uma ótima experiência.òtima indicação.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a sua resenha. Parece ser um livro super interessante e com uma temática tão importante de ser abordada: o autismo.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do livro, o livro aborda um tema importante que é o autismo, é sempre bom ler livros que falam sobre esse assunto, é uma forma de aprender saber mais de pessoas com autismo, excelente o livro, bjs.

    ResponderExcluir
  4. Essa temática é incrível é essencial, adorei sua resenha do livro.

    Saber mais sobre o espectro autista é essencial para a inclusão social.

    ResponderExcluir
  5. Já tive contato com uma criança autista e é necessário conhecimento sobre o assunto. Acho que precisamos de mais publicações que abordem o tema, tanto no informativo quanto no ficcional, sabe? Tudo é muito importante para esclarecer um pouco mais sobre esse universo presente em nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  6. Amei a temática e to apaixonada com a estética de seu blog, super fofo! Falar sobre o autismo especialmente em livros, é uma forma de inclusão magnífica além de ampliar ainda mais a discussão sobre o tema.

    ResponderExcluir
  7. Oie Jussara! Eu li esse livro e foi só amor. Também curti bastante a forma como a trama foi conduzida e meu coração se encheu de empatia pelo Colin. Foi uma leitura muito significativa para mim.

    Beijos,
    Paloma Viricio💙💫

    ResponderExcluir
  8. Olá Jussara,
    Gosto muito de histórias inclusivas, vou começar a ler o livro Passarinha(indicação de uma blogueira). Minha neta tem uma síndrome rara e tem muitas limitações. Dica anotada, obrigada!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Eu confesso que sei pouco sobre o assunto, só sei o que leio na internet ou vi em algum filme, mas livro nunca li nenhum, gostei muito da indicação, é fato que temos de nos inteirar mais sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  10. Achei a história muito bonita e interessante. Colin Fischer não suporta ser tocado. Ele não gosta da cor azul. Ele precisa de fichas para reconhecer expressões faciais, tem a síndrome de Asperger tornando o indivíduo muito inteligente, mas incapaz de ler algumas pistas sociais.

    ResponderExcluir
  11. Oi,tudo bem ?

    Já havia visto essa indicação de livro antes, mas havia esquecido de anotar...então esse post chegou em boa hora. Gostei da proposta do livro e sem dúvidas ele é uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
  12. Amazing review!
    Thanks for sharing 😍😍
    Regards:)

    ResponderExcluir

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo