ULTIMAS POSTAGENS

A ÚLTIMA VIÚVA - KARIN SLAUGTER - #SLAS

Oi Pocktes!!!

A resenha de hoje é do segundo livro do nosso Clube de Leitura - Sociedade Literária de Agentes Secretos.

O livro faz parte serie escrita pela autora Karin Slaughter tendo o agente Will Trent como personagem principal. Apesar de ele ser 9º livro desta série não trás prejuízo algum para a compreensão da historia ler ele sem ter lido os livro anteriores. Vamos conhecer um pouco mais desta historia antes de iniciarmos.

Titulo: A última viúva
Autora: Karin Slaughter
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2019
Nº de páginas: 416
Classificação: 4,1

Sinopse: 
Quando uma tarde de domingo é interrompida pelo som de duas explosões, o agente especial Will Trent e sua namorada, a médica Sara Linton, seguem seus primeiros impulsos: prestar socorro e investigar. No entanto, eles não imaginavam quais seriam as consequências de seguir seus instintos à risca.
O cenário piora rapidamente quando, em meio ao caos, Sara é sequestrada. Will, então, precisa encontrá-la enquanto se infiltra na organização terrorista para investigar os ataques. Ele acaba descobrindo segredos que comprometem a segurança de milhares de pessoas. E, entre salvar o país e sua namorada, Will Trent não se decidirá por nada menos que os dois. (Skoob)

Os livros tem uma ordem, mas pode ser lido sem seguir ela também, são eles:

1- Tríptico
2- Fissura
3- Gênese
4- Destroçados
5- Fallen (Não publicado no Brasil)
6- Criminal(Não publicado no Brasil)
7- Unseen (Não publicado no Brasil)
8- A esposa perfeita
9- A Última viúva
10- A esposa silenciosa


Esta é a segunda experiência que tenho com esta autora, a primeira leitura que fiz dela foi do livro Esposa Perfeita, também uma leitura coletiva só que no grupo #SociedadeLiteráriaCP.

Esta é daquelas autoras que depois você lê a primeira obra reconhece a qualidade do trabalho de pesquisa. Mas já vou avisando que suas historias são carregadas de violência, mas o que as deixa mais forte é que para dar credibilidade a trama muitas vezes são citados eventos reais. Pensar que estas histórias podem ser situações da vida real vão te deixar arrepiado.

Esta trama inicia com o sequestro da cientista Michelle e salta para um domingo casual em que o casal protagonista, Will e Sara, participam de um almoço com a família de Sara. Paralelo a isso temos as Policiais Amanda e Faith que estão em um treinamento para transporte de um terrorista. 

A autora vai acompanhando hora a hora os acontecimentos de ambos os núcleos da trama, de forma que você tem noção do que estava acontecendo com um grupo, enquanto outros eventos acontecem com outros. Se você já viu algum episódio da série 24 Horas saberá bem reconhecer o ritmo. 

"Dash era uma pessoa horrível, mas os homens tendiam a ser horríveis de modo previsível. Uma mulher furiosa era capaz de infligir enormes danos psicológicos, o tipo de ferida que permanecia aberta mesmo depois que a pele cicatrizava."

Will e Sara ouvem ao longe um barulho como uma explosão,  claro que o instinto natural de ambos é correr para descobrir o que está acontecendo e se possível ajudar de alguma forma. E será no meio da confusão criada pela explosão que Sara será sequestrada por um grupo bizarro de "Nacionalistas Americanos",  então vamos começar a conhecer mais sobre um grupo paramilitar EPI (Exercito Patriota Invisível).

"Ela não era exatamente contra a religião, mas contra as pessoas que buscavam usá-la como arma."

Quanto mais eu conhecia das motivações explicações para todas as barbaridades que acontece no acampamento dos "terroristas" mais chocada eu ficava. O personagem Dash é capaz de deixar o leitor enojado com suas ações. Mas não só isso pois, a historia aborda temas pesados como estupro, pedofilia comportamentos e ideologias semelhantes ao nazismo, o que percebemos é que as mídias sociais são o terreno perfeito para o crescimento desta ideologias distorcidas.

"Você é bonita, é inteligente, é tão divertida  e talentosa , e só deveria fazer coisa que a deixassem feliz, pois é isso que atrai os garotos que valem a pena, os que se interessam por garotas felizes e seguras."

Apesar de o personagem principal ser o Will, a autora apresenta as mulheres como personagens fortes, que não ocupam papeis secundários, muito pelo contrário. Elas determinadas, extremamente relevantes e mesmo, como no caso Gwen esposa de Dash, sua participação e relevância na trama e marcante. Que personagem odiosa, desabafo.

"As plataformas estavam fazendo o que faziam de melhor: comercializar o ódio."

Uma história eletrizante, com todos os acontecimentos explicados e bem amarrados.

Nós ainda teremos na #SLAS mais uma leitura desta autora, porém desta vez fora da série do Will Trent, Flores Partidas

E você gosta desta pegada Thriller?

Já leu algum dos livros desta autora?

Vamos conversar nos comentários?

Beijos e até a próxima!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo