ULTIMAS POSTAGENS

PAX - SARA PENNYPACKER

Oi Pockets,


No mês de Julho a leitura rendeu bastante. Deu para colocar muita leitura em dia. Uma das leituras que fiz este mês foi bem especial pois faz parte do livro viajante do Clube do livro BH, Pax da autora Sara Pennypacker.

Fonte: Skoob
Título: Pax
Autora: Sara Pennypacker 
Editora: Intrínseca 
Páginas: 288
Gênero: Ficção
Lançamento: 01/07/2016

Sinopse: Peter e sua raposa Pax são inseparáveis desde que ele a resgatou, órfã, ainda filhote. Um dia, o inimaginável acontece: o pai do menino vai servir na guerra, e o obriga a devolver Pax à natureza. Ao chegar à distante casa do avô, onde passará a morar, Peter reconhece que não está onde deveria: seu verdadeiro lugar é ao lado de Pax. Movido por amor, lealdade e culpa, ele parte em uma jornada solitária de quase quinhentos quilômetros para reencontrar sua raposa, apesar da guerra que se aproxima. Enquanto isso, mesmo sem desistir de esperar por seu menino, Pax embarca em suas próprias aventuras e descobertas. Alternando perspectivas para mostrar os caminhos paralelos dos dois personagens centrais, Pax expõe o desenvolvimento do menino em sua tentativa de enfrentar a ferocidade herdada pelo pai, enquanto a raposa, domesticada, segue o caminho contrário, explorando sua natureza selvagem. Um romance atemporal e para todas as idades, que aborda relações familiares, a relação do homem com o meio ambiente e os perigos que carregamos dentro de nós mesmos. (Skoob)

"EU NÃO TENHO NENHUMA VERDADE MAGICA PARA GUIAR VOCÊ. A VIAGEM É SUA NÃO MINHA."

RESENHA:

Sabe aquele livro que vem tão recomendado que quando você pega para ler tem até medo de se decepcionar?
Pax pra mim foi assim! Estava a vários meses esperando chegar a minha vez de ler este livro pois ele faz parte do projeto livro viajante do Clube do livro de BH e a fila de espera é bem grande. Mas a espera valeu a pena!!!

                      

Quando Peter perdeu a mãe, em um trágico acidente, tinha apenas sete anos. Passou a viver apenas com o pai. Um homem fechado que não sabe como lidar com o filho. Peter começa a fazer terapia para lidar com a perda sem grande sucesso. Até que certo dia encontra na floresta perto de casa um filhote de raposa e o leva para casa. Eles passam então a ser melhores amigos.

"Pax amava seu menino, mas, acima disso sentia se responsável por ele. Tinha o dever de protegê-lo. Quando não podia cumprir este papel, a raposa sofria."

A história se inicia quando o pai se alista para uma guerra que se aproxima, e Peter é obrigado a se separar de sua raposa Pax e devolve-la a natureza.
 Peter nunca antes havia se separado de sua raposa e apesar de muito triste acata as ordens do pai e a deixa em uma mata próxima a estrada a caminho da casa do avô Onde deverá ficar até o retorno do pai. 

"Não estou com raiva. É que eu não escolhi isso. Não fui eu que quis essa guerra. Não fui eu que fiz meu pai se alistar. Não escolhi ir embora de casa não escolhi morar com meu avô. E é claro que não escolhi abandonar o bichinho que ficou cinco anos comigo."

Pax por sua vez se sente responsável pelo seu menino. Sempre cuidou dele e confia plenamente em seu menino. A separação e dolorosa para ambos. Mas é neste ponto que começamos a conhecer toda a história da raposa e seu menino.
Pax foi resgatada por Peter ainda filhote e não sabe como viver na natureza. O cheiro de gente nela e tão forte que ela é rejeitada pelas raposas que habitam a mata Onde foi deixada. Peter por outro lado ao chegar à casa do avô sente que nunca deveria ter deixado sua raposa e temendo por sua segurança em meio a guerra foge da casa do avô para buscar sua amiga.

                       

O caminho que os levará de volta um ao outro está cheio de perigos e aprendizados antes de se reencontrarem.  

"Os pedidos de desculpa nunca restauram os danos"

Apesar de ser um livro infantil, este é daqueles livros que a gente tem vontade de ter na estante para reler a historia, que vai muito além de amizade, sofrimento, autodescoberta, separação e família. Este livro tem ensinamentos que te deixam refletindo depois de concluir a leitura.
Peter deve aprender a moldar seu caráter como se molda a madeira. Pax irá aprender que não era uma raposa completa até estar livre.
Apesar de ter achado o final um pouco corrido e tambem querer um pouco mais do desecho da historia eu super recomendo, pois foi uma experiência maravilhosa.
Me conta ai nos comentários se você já leu? Se já conhecia a história?
Deixa amor aí.
Beijos!!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo