ULTIMAS POSTAGENS

CLUBE DO LIVRO DOS HOMENS # 1 - LYSSA KAY ADAMS

Ei Pockets,

Como estão? Espero que bem. Nosso grupo de leitura coletiva Romances de Hoje lemos em maio o livro Clube do livro dos homens, um livro leve, divertido e que traz muitos questionamentos importantes sobre relacionamentos, atitudes machistas, machismo tóxico, relação sexual, família, traumas, etc., mas de uma maneira que deixa o leitor feliz, pois é bem construindo, e legal que faz parte de uma série (a editora arqueiro já confirmou os direitos dos próximos).

Outro ponto interessante da história é os homens lendo romances de banca (os chamados de romance de mulherzinhas, que por sinal é um termo pejorativo). Eles afirmam que esses livros são muito instrutivos para entender e ajudar o relacionamento, pois ajuda a ver o que as mulheres gostam e como gostam de ser tratadas.

Antes de falar da história é importante saber que os livros que os personagens mencionam e são lidos no clube, são livros que teve o surgimento nas décadas de 1940-1060 com os livros da Coleção Biblioteca das Moças, livro direcionado para as mulheres, a partir da década de 70 aqui no Brasil, a editora Nova Cultural trouxe os romance de banca, termo usado até hoje, porém muitos agora tem outros formatos e são chamados apenas de romance. Informação do Blog Livros e Fuxico (2011):
Conceitualmente um romance de banca é um livro de publicação simples (o que o torna quantitativamente mais acessível), vendido especificamente em bancas de jornal. No geral são livros curtos, com histórias breves, que possuem um elemento em comum: A descrição de mulheres que encontram no amor sua salvação, ou perdição. Por tratarem especificamente do amor, da paixão, e da forma como esse sentimento pode mudar os homens, esse tipo de livro já recebeu muitas críticas e nomes pejorativos: Romance cor-de-rosa, romance água com açúcar, ou romance de mulherzinha. Bem, eles realmente são romances de mulherzinha, mas, de mulheres decididas, que sem medo de amar, se entregam de corpo e alma aos sentimentos que as envolvem.

A partir dessas informações vamos a história, onde conhecemos o casal Gavin e Thea, os dois tem duas filhas gêmeas, e estão casados a três anos. Gavin é jogador de beisebol, e bem no dia que faz uma grande partida, acabada descobrindo que a mulher fingia sentir prazer na cama com ele, Gavin não deixa Thea se explicar, ele fica um mês no quarto de hospede, até Thea pedir o divórcio e mandar ele sair de casa.

Ele vai para um hotel e lá percebe que está perdendo a mulher que ama e que sempre o aceitou como ele é, até mesmo sua gagueira, e nunca o diminui por isso. Gavin acaba recebendo a visita de seu amigo de time Del e Brandon, que fazem uma proposta a ele, se ele quiser recuperar sua esposa, as filhas e casamento eles ajudaram, porém Gavin tem que seguir as regras deles e a do clube do livro e a primeira regra é "Não fale sobre o clube do livro".

 
"Em qualquer casamento, em algum momento, um cônjuge se torna estranho para o outro– explicou o amigo.– Os humanos mudam constantemente, e nem todos avançam no mesmo ritmo."

Gavin não acredita no que descobre sobre o clube e nem dos amigos, mas vai perceber que nem todos os casamentos e casais são felizes como aparentam. Gavin aceita a ajuda e vai fazer uma proposta a Thea, enquanto descobre que ele se perdeu no caminho e que não sabe de muitos coisas sobre a esposa, e ao ler o livro do clube "Cortejando a condessa" (vamos acompanhar alguns capítulos quando Gavin ler), percebe que precisa aprender muito coisa se quiser ter Thea de volta.

No outro lado temos Thea, que largou a faculdade para casar, ter as filhas e ser a esposa de um jogador famoso, e mesmo não gostando aceitou pelas filhas e por amar Gavin. Thea não é bem vista no meio das "esposas de jogador", por falarem que ela deu o golpe da barriga em Gavin, e esse sempre foi seu medo ao descobrir a gravidez, e dado o histórico da mãe dela, se sente mais receosa.

Thea tem grandes traumas devido a relação de seus pais, e desde cedo aprendeu a se cuidar sozinha e de sua irmã Liv, tiveram apenas o amor e cuidado da avó. A mãe é uma egoísta e o pai um galinha, ambos acabam deixando as filhas de lado e que prejudicou a confiança de ambas.
"Quem sabe quantos casais não se separaram só porque não conseguiam perceber que o que viam como problemas insuperáveis na verdade era apenas uma fase?"
Thea após perdi o divórcio, decide pensar nas filhas e em si, em retomar a faculdade e voltar a seguir seus sonhos que deixou para trás por causa do casamento. Ela acaba aceitando a proposta de Gavin dele voltar para casa e tentar salvar o casamento, mas o prazo é até o natal. Percebemos que as duas filhas tem sentimentos contraditórios em relação aos pais e que estão tendo reações que pode vim a ser prejudiciais se não tratado com atenção.

Gavin e Thea começam a ter encontros, e geralmente acaba com algum deles frustrados, e em outros com a tensão sexual nas alturas, porém vivem num impasse, pois Thea ao mesmo tempo que quer dar uma chance ao Gavin tem muito medo de ser deixada como o pai fez com ela, e é um dos pontos em que Gavin a confronta e diz que ela precisa resolver esse problema, pois não a deixa viver e confiar. E Gavin vai enxergar que ele saiu de casa não porque Thea não tinha prazer na cama (embora isso tenha sido um chute na sua masculinidade), mas sim porque ele tinha medo de perder a relação/vida "perfeita" que acreditava ter.

"Estava na hora de caminhar com os próprios pés. De continuar de onde tinha parado quando abriu mão de tudo pelo marido e pela carreira de atleta dele. Estava na hora de começar a viver as promessas que ela e Liv fizeram para si mesmas, tantos anos antes."
A história dos dois é linda, de aprendizado, reconhecimento e superação. Mas o que deixa a história muito divertida é os encontros do clube e as brincadeiras/implicância de Brandon com todos (mas só digo que ele vai cair bonito quando chegar na sua história). Mas um ponto que me incomodou na história foi as atitudes de Liv, irmã de Thea, ela acaba sendo irritante nas suas colocações sem nem pensar nos sentimentos da irmã, e até entendi que ela tinha medo (mais traumas dos pais) em perder a irmã.

Outro ponto bem interessante da história é o levantamento do machismo tóxico, de como os homens "devem" agir, ser, ler e até mesmo comer, pois se não for coisas aceitas como de "homem" eles são julgados como gays, e muitos vezes isso prejudica a relação que eles tem com as mulheres.
"As coisas sempre são diferentes por trás de portas fechadas, não é mesmo?"
Uma história divertida, que vai arrancar risadas em alguns momentos, em outros vai fazer você refletir e pensar como as vezes nem percebemos certas atitudes negativas. A autora trouxe uma história cheia de emoções, reflexões e de aquecer nosso coração, que no final você vai suspirar de felicidade.
"Se as mulheres gostam de alguma coisa, a sociedade debocha delas automaticamente. O mesmo acontece com os romances. Se as mulheres gostam, é porque devem ser ridículos, né?"
Espero que tenham gostado, super recomendo essa leitura e ansiosa já para o próximo da série. Nos próximo mês vamos ler "O clube do livro do fim da vida" vem ler com a gente, só deixar aqui nos comentários que entramos em contanto ou chamar no direct do @pocketcultura.


Abraços, até a próxima.


7 comentários:

  1. É um livro bastante interessante com muitos temas, e trás reflexão sobre esses temas, gostei muito dos personagens, os dois de um modo acabam aprendendo, bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oi Suellen, tudo bem?
    Achei muito legal e divertida essa ideia de cum clube de leitura dos homens. E o melhor, é que eles estão se unindo para ajudarem uns aos outros em seus relacionamentos. É complicado quando os medos e traumas de cada um atrapalham o relacionamento. Por isso é importante não só a comunicação como realmente lutar para dar certo. Dica mais do que anotada. Sua resenha ficou ótima!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  3. oi!
    Eu li recentemente este livro e gostei :D é um livro que traz um assunto delicado como as crises em um casamento e que todos passamos durante a vida, mas abordado de uma forma que equilibra o drama com cenas engraçadas. Gostei da resenha!!

    ResponderExcluir
  4. Um livro super atual com temas pertinentes e necessários para a nossa sociedade machista da atualidade. Com certeza uma excelente dica de leitura, amei!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Ah, eu vi tantos elogios sobre esse livro e fiquei bem curiosa em conhecer a escrita da autora. Acredito que muitos casamentos passem por altos e baixos, mas nem todos estão dispostos a fazer algo para reverter essa situação não é mesmo? As vezes é melhor simplesmente pedir o divórcio ou ir embora. Mas eu já penso que podemos sim dar um jeito e pôr tudo em ordem. Se terminamos todo relacionamento por causa de alguns desentendimentos, com quem iremos ficar? Concorda? Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro bem leve e de fácil leitura mas que levanta questões bem interessantes e que nos levam a pensar nas questões mais importantes de uma relação.

    ResponderExcluir
  7. Olá Suellen, tudo bem?


    Essa é uma obra que está na minha lista há muito tempo e que tenho certeza será uma leitura que gostarei demais. Só vejo elogios à escrita da leitura. Gostei de saber que é uma obra divertida, mas que ao mesmo tempo nos faz refletir. O fato de ter essa questão do machismo tóxico em pauta também me agrada. Adorei o seu post, muito bom!

    Beijos!

    ResponderExcluir

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo