ULTIMAS POSTAGENS

VILÃO - V. E. SCHWAB


Fala, Pockets! Tudo certinho?
Aqui é a Evelyn e venho apresentar pra vocês um livro eletrizante, repleto de loucuras, sede de vingança e de uma genialidade incrível. Só quem leu sabe... então leia a resenha até o fim e corre para comprar o seu!

Título: Vilão
Autor: V. E. Schwab
Editora: Record
Ano: 2013-2019
Número de Páginas: 364
Nota Classificação Skoob: 4.4

Sinopse: Uma história sobre ambição, inveja, desejo e superpoderes, da autora da série Tons de Magia.Victor e Eli, dois jovens brilhantes, arrogantes e solitários, se conheceram na Universidade de Merit e logo se deram bem, identificando um no outro a mesma sagacidade e a mesma ambição. No último ano da faculdade, o interesse em comum numa pesquisa sobre adrenalina, experiências de quase morte e poderes sobrenaturais lhes oferece uma possibilidade antes inimaginável: de que uma pessoa, sob as condições certas, seja capaz de desenvolver habilidades extraordinárias. No entanto, quando colocam em prática essa teoria, as coisas dão muito errado.Dez anos depois, Victor foge da prisão, determinado a encontrar seu antigo amigo ― agora inimigo. Para localizá-lo, ele conta com a ajuda de uma garotinha, Sydney, cuja natureza reservada esconde uma habilidade sem igual, mas extremamente perigosa. Enquanto isso, há dez anos Eli tem uma única missão: erradicar todas as pessoas ExtraOrdinárias que encontra ― exceto sua ajudante, Serena, uma mulher enigmática e persuasiva, capaz de impor sua vontade a qualquer um.Armado com poderes terríveis e movido pela lembrança da traição e da perda, Victor caça seu arqui-inimigo em busca de vingança e de um embate no qual sabe que um dos dois deve morrer.Fantasia / Ficção científica / Literatura Estrangeira
(Skoob)

RESENHA:
Sabe aquele amigo de olhar dúbio, uma áurea esquisita, mil personalidades em dois segundos, mas que você nunca tem certeza de qual é a real? Então, este é o Victor. Ou pode ser o Eli. Nossos protagonistas (embora a Menina Sidney tenha ganho meu coração) se completam e divergem na mesma proporção, competem e planejam com a mesma intensidade e invariavelmente se fundem numa brincadeira de gato e rato arrepiante.

A trama brinca com a atenção, o bom e velho senso de CSI para entender a motivação das personagens, intercalando a passagem de tempo entre os dias atuais, dez anos antes, luzes incidindo no plano de fundo do elenco e as projeções vingativas dos dois antagonistas.


Não é spoiler nenhum que nossos meninos geniais vão trabalhar com a ideia dos EO’s (ExtraOrdinários) - visto que está na sinopse - e como? Através da jocosa e nada perigosa EQM (Experiência de Quase Morte) - este trecho contém ironia e verdade - com interferência de adrenalina. Divertido, não?  Não! As coisas degringolam quando o projeto sai da teoria e vem pra realidade, a parada fica séria.

Em um clima de pura tensão, vem à frente coadjuvantes de luxo como o Gigante - quase - Gentil, Mitch; aquele tipo de personagem que cresce de repente, num mini plot twist, mas que a dona Victoria Elizabeth conduz com uma agilidade de, como se diz por Florianópolis, “travar os carrinhos” - glossário: cerrar os dentes -. E o que falar da pré-adolescente mais fenomenal dos últimos tempo - opinião da resenhista -, a senhorita Sidney? Uma coadjuvante que rouba a cena, estabelece sua marca e sustenta sua personalidade até o fim. Esbanjando carisma por onde passa, a menina conquista seu espaço na trama, simplesmente é um dos pontos altos deste horror trágico, dramático e atraente. - Sim, a resenhista fala das personagens como se fossem pessoas reais - . Confesso que pensei visualizei nossa jovem mais ou menos como a menina do Poltergeist (Heather O’Rouke, 1982), porém aos 12 anos - a atriz mirim morreu em 1988, com apenas 12 anos -. 

Heather O'rourke - Filme Poltergeist - Gif retirado do Google

Contando com capítulos curtos, planejados friamente pela autora da aclamada duologia “A Guardiã das Histórias”, encanta seus leitores, sem pedir licença, invadindo nossas mentes férteis e semeando o famoso “e se...”. Sobre o exemplar enquanto objeto, a capa é extremamente adequada ao entrecho, as páginas amarelada, inícios de capítulos chamativos na medida certa, uma vez que a narrativa brilha por si só. Fato: a Editora Record fez um trabalho de diagramação astuto, ciente do poder impactante do livro.


Para dar aquele gostinho, um trecho:

”Eli esfregou o polegar na pele nova da sua mão, mas Victor foi o primeiro a falar. Quando ele o fez, foi com uma eloquência e serenidade perfeitamente adequadas à situação: - Puta merda!”

Bateu a comichão da curiosidade, que eu sei; para facilitar, segue o link para aquisição que não pode ficar de fora das estantes nem dos fãs de SiFi, nem dos leitores desejosos em sair da zona de conforto, muito menos para os fãs de suspense, como eu - Tamo Junto! -.

Link Amazon: Vilão


Você leu Vilão? Vem trocar figurinhas  comigo nos comentários.

No mais, lavem as mãos e fiquem em casa.
Beijos trevosos.



6 comentários:

  1. Claro que bateu, Sou tão curiosa que nem sei. kkk
    Já vou dar uma olhada nesse livro.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que esse estilo de história não sou tão fâ assim rsrs.
    Mais pelo pouco que vi, parece ser cheio de emoção e tudo mais.
    https://blogdajenny2014.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Que interessante, me instigou mto a ler esse livro. Adoro o gênero e sua resenha me despertou curiosidade.

    ResponderExcluir
  4. O livro é cheio de surpresas e um ar de suspense, mesmo não sendo mais o genero que eu curto me parece ser uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  5. Uhum my lord e agora?? Sabe que muitas resenhas que li e videos que assisti, falam que a narrativa dele é meio ruim.
    Tô achando que as pessoas leram errado esse livro viu!!!
    Adoro um suspense

    ResponderExcluir
  6. Ainda não conhecia, mas me interessei! Adoro livros de suspense.

    ResponderExcluir

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo