ULTIMAS POSTAGENS

RESENHA PEQUENAS GRANDES MENTIRAS - LIANE MORIARTY

Boa Noite, Amores!!! 
Fonte: Jussara Ferreira, 2018.

Participo de um grupo chamado Unidos Pela Leitura no whatsapp, onde realizamos troca de livros, e também temos o clube do livro, onde escolhemos um livro em comum, para todos lerem no mês. O escolhido foi Pequenas Grandes Mentiras.

Fonte: Skoob
Título: Pequenas Grandes Mentiras
Autora: Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
N° páginas: 400
Classificação: 4

Sinopse: Com muita bebida e pouca comida, o encontro de pais dos alunos da Escola Pirriwee tem tudo para dar errado. Fantasiados de Audrey Hepburn e Elvis, os adultos começam a discutir já no portão de entrada, e, da varanda onde um pequeno grupo se juntou, alguém cai e morre. Quem morreu? Foi acidente? Se foi homicídio, quem matou? Pequenas grandes mentiras conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada. Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline. Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade. Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida. Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o fatídico dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada. Ao colocar em cena ex-maridos e segundas esposas, mãe e filhas, violência e escândalos familiares, Liane Moriarty escreveu um livro viciante, inteligente e bem-humorado, com observações perspicazes sobre a natureza humana.

RESENHA:

O livro conta principalmente a história de três mulheres, que são bem diferentes entre si, mas que acabam por ter uma amizade, cada uma com seus problemas diários para lidar e apoiar uma a outra.
Madeline é a mais divertida e expansiva, mas tem seus acessos de fúria, pois foi deixada pelo ex-marido com uma filha de 5 anos, para se virar sozinha. Madeline se casa novamente com Ed e tem 2 filhos Chloe e Fred. 
E quando pensa que a vida está bem, o ex-marido volta quando a filha está com 11 anos, e para piora casado e com uma filha da mesma idade que sua filha Chloe, e volta como se nada tivesse acontecido para a vida da filha Abigail, e que acaba se encantando pela nova esposa do pai, e decide morar com eles, deixando Madeline furiosa, mas acaba por ficar calada, fingindo não se importar com a decisão da filha.

"Tudo bem você dormir com mulheres aleatórias, mas quando uma mulher faz isso, é uma boba. São dois pesos e duas medidas."
Fonte: Jussara Ferreira, 2018.
“– É porque toda a autoestima de uma mulher é baseada em sua aparência – disse Jane. – Por isso. É porque a gente vive em uma sociedade obcecada pela beleza, na qual a coisa mais importante que a mulher pode fazer é ser atraente para o homem.”

Celeste é a tranquila e sempre quieta, que parece ter a vida perfeita, é loura, magra, linda e casada com Perry um homem rico e lindo. Mas Celeste anda sempre se sobre saltando, assustada com algo, pois na verdade vive uma vida pisando em ovos, pois seu "príncipe" bate nela, mas como muitos caso Celeste acredita merecer toda essa agressão e não o larga devido seus filhos gêmeos e hiperativos Max e Josh. Celeste está sempre disposta a ajudar as amigas, nem que seja apenas financeiramente.   
Jane é a misteriosa e retraída, sempre mostrando uma inferioridade perante as outras mulheres. Jane tem apenas 24 anos e é mãe solteira, tem seu filho Ziggy, um menino calado, mas com uma expressão de inteligência nata.
Jane não revelou a ninguém quem é o pai de Ziggy, apenas diz que foi um rompante de apenas uma noite, que acabou gerando um milagre, que foi seu filho, já que Jane foi diagnostica com uma doença que a impedisse de engravidar. 
Jane ajuda Madeline, quando a mesma machuca o tornozelo, logo no dia da orientação do jardim na escola e seu aniversário de 40 anos, e acabam por ficarem amiga, e logo apos esse incidente Celeste se une as duas, e vão ao bar do Tom, onde ficam um pouco alegres com alguns copos de champanhe, e quando chegam na escola para buscar os filhos são a fofoca da hora. 


"-Você provavelmente vai fazer amizade com Bonnie - Disse Madeline. - É impossível odiá-la. Sou muito boa em odiar os outros, e até eu acho difícil. Realmente tenho que me empenhar de corpo e alma."
Fonte: Jussara Ferreira, 2018.

Alguém realmente conhecia o próprio filho? Filhos eram pequenos estranhos, sempre mudando, desaparecendo e se reapresentando aos pais. Novos traços de personalidade podiam surgir da noite para o dia.

E para finalizar o dia, o filho de Jane é acusado de fazer bullying, com a filha de Renata Amabella, e dai por diante, começa um alvoroço na escola, e uma divisão de lados. É uma verdadeira guerra, onde os lados mostram seu caráter, deixam suas cordialidades de lado e mostram seus verdadeiros pensamentos. A história é contada, antes do evento de perguntas, apenas para os pais dos alunos, já que nessa noite acaba em morte.
O tema central do livro é amizade, mas ele aborda o bullying, traição, violência doméstica, etc. O interessante é que as crianças observam as coisas que acontecem ao seu redor, mas do que os adultos pensam, certos pais exagera na proteção dos filhos, em quanto outros deixa a criação por conta de outras pessoas, e acabam não conhecendo seus filhos. 
E a verdade é que todos nós, contamos Pequenas Grandes Mentiras para si mesmo, pois é um modo de diminuir ou não aceitar as verdades duras da vida, e também para não demostrar o que você realmente pensa, e ser julgado por ter uma visão diferente dos outros, pois sempre queremos mostrar que vivemos uma vida "perfeita".

Poderia  voltar ao Blue Blues, comprar um café e depois tirar uma foto pretensamente artística da xícara apoiada em uma cerca com o mar ao fundo e postá-la no Facebook com a legenda: Pausa do trabalho! Que Sorte! As pessoas escreveriam: Inveja!Se exibisse no facebook como sua vida era perfeita, talvez também começasse a acreditar.


Galera é isso, espero que gostem. E super indico esse livro, pois ele nos faz refletir sobre algumas atitudes que nós mesmo tomamos no dia a dia.

Beijinhos 😘.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Cultura Pocket - desde 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Linezzer Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo